Lei prevê prisão a quem usar pronomes transgêneros “errados”

Senador americano, relator do projeto, diz que “não há lugar para a religião na vida em espaço público”


Prisão a quem usar pronomes transgêneros "errados"

Trabalhadores de saúde da Califórnia que “propositalmente e repetidamente” usarem o pronome errado para se referir a pacientes transgêneros estão sujeitos a uma nova lei que prevê desde multa até prisão.

O governador Jerry Brown sancionou o projeto de lei, proposto pelo Senado estadual. O autor da legislação, Scott Wiener é um conhecido ativista do movimento LGBT.

Se denunciado, quem usar o pronome errado, “ele” ao invés de “ela” ou vice-versa, dependendo do caso, pode ser punido com multa de mil dólares, para réus primários e até um ano de prisão, em caso de reincidência. O argumento de Wiener é que se trata de uma medida “antidiscriminação” às pessoas que não querem se identificar com o sexo de nascença.  Para ele, “a religião não tem lugar na vida em espaço público”.

O nome oficial do projeto é ‘Lei de Direitos e Cuidados de Longo Prazo para Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros’. Ele é direcionado, primariamente às pessoas idosas que vivem em hospitais ou lares de idosos, e faz parte de uma campanha pelo direito de que cada um use o banheiro de acordo com seu gênero declarado (independentemente do sexo biológico).

Obviamente, grupos religiosos e os que lutam pela liberdade de expressão mostraram-se contrariados com a aprovação.

Greg Burt, representante do Conselho da Família da Califórnia lamentou que isso pode abrir caminho para outras legislações do tipo, o que mostra a força política dos movimentos LGBT. Com informações Fox News




Deixe seu comentário!