Líder da “Igreja Jedi” afirma que Jesus nunca existiu

Eles dizem que sua religião poderia “inspirar a paz em todo o mundo”


Líder da "Igreja Jedi" afirma que Jesus nunca existiu

Além dos bilhões de dólares gerados pela franquia cinematográfica de Star Wars, a série de filmes cujo último capítulo estreia dia 13 de dezembro, o universo criado por George Lucas também deu origem a uma religião.

A Igreja Jedi, ou Jediismo afirma possuir 500 mil membros em todo o mundo. Curiosamente, no último censo do Reino Unido, foi a sétima maior religião mencionada. Em 2001, nove mil moradores do Canadá afirmaram seguir a “Ordem de Jedi” como religião. No mesmo ano, 53 mil moradores da Nova Zelândia se identificaram assim. A República Tcheca contabiliza mais de 15 mil adeptos. Há inclusive brasileiros que dizem ser parte do movimento.

O fundador dessa “religião-filosofia” Daniel Jones deu uma entrevista polêmica no programa Good Morning Britain de ontem (20). Ele compareceu no matutino com a Jedi Theresa Cheung e teve um debate com os jornalistas da bancada (ambos cristãos) sobre e o Jediismo ser um movimento legítimo, pois ele estão buscando o reconhecimento do governo como tal.

O líder do Jediismo argumenta que sua religião poderia “inspirar a paz em todo o mundo”. Ele explicou também que eles pregam “meditação, atenção plena, fazer o bem, tentar ajudar os outros.”

Theresa acrescentou que havia pessoas de muitas religiões no Jediismo e o comparou com o budismo, que muitas pessoas afirmam ser uma filosofia e não uma religião tradicional. Questionada se não era tudo baseado em uma “história de ficção”, insistiu que a Bíblia também era, mencionando os relatos de Gênesis.

“Todos nós temos um papel a desempenhar, todos nós fazemos nossa parte. Somos parte de uma comunidade que são pacificadores e promovemos a paz. É uma filosofia de vida aplicada, que as pessoas podem assumir como religião ou fé”, assegurou Jones.

A âncora do jornal, Caroline, que é uma católica praticante, não gostou quando os entrevistados compararam o movimento com o cristianismo. Ela minimizou: “É ficção científica, é pura fantasia. Se você olhar para o cristianismo, a pessoa de Jesus Cristo é uma figura histórica”.

Jones rebateu, dizendo que era “questionável” a afirmação que podia-se comprovar a existência de Jesus.

Piers Morgan, conhecido por sua postura conservadora, ficou irritado, chamando o Jediismo de “picaretagem” e ridicularizou Daniel por ser o líder do movimento. Ele insistiu, questionando se Jones pregava que Jesus Cristo passou pela terra, ao que o líder Jedi replicou de forma enigmática, dizendo: “Eu mantenho minha mente aberta”.

Caroline disse que a força não era real, contrariando os jediistas, que, por sua vez, não puderam dar uma demonstração se ela era. Com informações Metro




Deixe seu comentário!