Líder da Igreja Ortodoxa anuncia que “o fim do mundo se aproxima”

Patriarca Cirilo I convidou a humanidade a se unir nesse “momento crítico” da história


Líder da Igreja Ortodoxa diz que apocalipse se aproxima

O Patriarca Kirill I, 71 anos, líder maior da Igreja Ortodoxa da Rússia alertou que o fim do mundo se aproxima e clamou que a humanidade se una nesse “momento crítico” da história. Liderando os ortodoxos russos desde 2009, é a primeira vez que Kirill, ou Cirilo como seu nome é traduzido no Ocidente, faz um sermão tão enfático sobre Apocalipse.

Em um culto na catedral Cristo, o Salvador, em Moscou, ele garantiu aos fiéis que o final dos tempos “já é visível a olho nu” e exortou tanto líderes políticos quanto os cidadãos a unirem-se, na expectativa de “evitar que o mundo escorregue para dentro do abismo”.

“É preciso ser cego para não ver a aproximação dos terríveis momentos da história sobre os quais o apóstolo e evangelista João falou a respeito no Apocalipse”, instou. “Hoje é o momento para juntar todas as forças positivas” da Rússia pois, segundo ele, a liderança do país estariam repetindo os erros de seus predecessores, que levaram o país aos eventos que resultaram na Revolução Comunista no início do século XX.

Em 2013, Cirilo causou grande controvérsia no país após afirmar que o reconhecimento legal do casamento de pessoas do mesmo sexo era “um sinal perigoso do Apocalipse”.

No ano passado, atribuiu o surgimento do Estado Islâmico a uma civilização cada vez mais “ímpia, secular e até radical em sua secularização”.

Falando sobre o crescimento das paradas LGBT na Europa, lamentou: “Podemos ter desfiles para as minorias sexuais e todos apoiam, mas um milhão de manifestantes cristãos franceses saem para defender os valores familiares e são reprimidos pela polícia”.

Para o patriarca, essa “civilização sem Deus está chegando à sua maturidade” e afirmou que o liberalismo dos costumes oferece um ambiente propício para que jovens se juntem a grupos extremistas.

“Veja como eles [o Ocidente] construíram esse mundo – um mundo impiedade – mas nós os convidamos a construir o mundo de Deus”, afirmou.  Na ocasião, deu apoio à guerra travada pelo governo da Síria contra o Estado Islâmico, que tinha o apoio do exército russo.

Em fevereiro de 2016, ele teve um encontro histórico com o papa Francisco, sendo o primeiro do tipo entre os líderes desses dois ramos do cristianismo após sua separação, há mais de um milênio. Com informações God Reports e Newsweek




Deixe seu comentário!