Mãe de meninos mortos em incêndio no Espirito Santo depõe

Pai foi preso temporariamente acusado de atrapalhar investigações


George Alves e Juliana Salles
George Alves e Juliana Salles em frente ao DML de Vitória. (Foto: Marcelo Prest | GZ)

Juliana Salles, mãe dos meninos Joaquim e Kauã, de 3 e 6 anos, que morreram queimados em um incêndio na casa em que moravam prestou depoimento nesta quinta-feira (03) por aproximadamente quatro horas na 16ª delegacia regional de Linhares, norte do Espírito Santo. A pastora chorou durante todo o depoimento.

No dia do incêndio, Juliana estava em um congresso com o filho mais novo, seu esposo, pastor George, e as duas crianças estavam em casa.

George foi preso no último sábado (28) acusado de atrapalhar investigações sobre o incêndio. Em depoimento ele informou que tentou salvar os meninos, mas não conseguiu. Na tentativa, teve os cílios queimados e lesões nos pés. Por segurança, ele foi colocado em uma cela isolada.

De acordo com os advogados que cuidam do caso, a decisão foi precipitada, já que George estava à disposição da polícia e não se recusou a prestar depoimento em momento algum.

Delegado desmente boato

Nesse interim surgem muitas especulações, mas até o momento não há nenhuma prova de que George tenha algum tipo de culpa na tragédia.

Um boato se espalhou nos últimos dias dizendo que o pastor teria confessado à polícia que havia violentado sexualmente o enteado e, após isso, matou as duas crianças.

No entanto, o delegado André Jaretta, da Delegacia de Crimes Contra a Vida de Linhares, disse que a informação não procede. Embora não seja o responsável pelo caso, Jaretta afirmou que medidas foram tomadas para identificar o autor dos boatos. Com informações de Gazeta OnLine e Tribuna OnLine





Deixe seu comentário!