Malafaia defende Bolsonaro e critica imprensa: “Vão eleger ele no 1º Turno”

Pastor comentou as acusações falsas da imprensa sobre pré-candidato a presidência


Malafaia defende Bolsonaro e critica imprensa

Apesar de ter declarado apoio a João Doria no passado, o pastor Silas Malafaia saiu em defesa do deputado Jair Bolsonaro, pré-candidato a presidente pelo PSL.

Em um vídeo publicado em suas redes sociais, o líder da Assembleia de Deus Vitória comentou as reportagens maliciosas do jornal Folha de São Paulo, que sugerem enriquecimento ilícito de Bolsonaro e seus filhos.

Iniciou lembrando que ele próprio foi vítima de reportagens que destacaram meias verdades ou simplesmente fizeram acusações sem provas. Primeiramente, a da revista Forbes, que lhe atribuiu um patrimônio de 150 milhões de dólares.

Malafaia disse que “toda a imprensa” brasileira divulgou a informação sem checar. Embora ela tenha aberto sua declaração de Imposto de Renda durante seu programa na TV, não houve preocupação de se apuraram os fatos. Deixou claro, inclusive, que abriu um processo contra a Forbes por calúnia.

Em seguida, lembrou da Operação Timóteo, deflagrada pela Polícia Federal no ano passado e que resultou em sua condução coercitiva. A imprensa disse que ele era acusado de “lavagem de dinheiro” e fazia parte de uma quadrilha que movimentou mais de 70 milhões. A verdade é que ele havia recebido um cheque de 100 mil reais de uma pessoa que, sem ele saber, fazia parte do esquema.

Apesar de Malafaia ter comprovado sua inocência e mostrado que tudo foi declarado no Imposto de Renda, nunca teve oportunidade dessa mesma imprensa para se defender.

Ao falar da série de ataques que Jair e seus três filhos, todos políticos, estão recebendo da Folha de São Paulo, que tentou mostrar enriquecimento ilícito com transações imobiliárias.

“Quer dizer que ele não pode ter patrimônio?”, questionou Silas, reiterando que tudo que foi mostrado pelo jornal está declarado no Imposto de Renda. Também lembrou que o ex-procurador da República Rodrigo Janot já havia dado parecer negativo sobre essas acusações, que não são novas.

“Eu sou a favor de uma imprensa livre, mas não uma imprensa parcial”, asseverou o pastor, lamentando que “a maioria dos jornalistas têm tendências esquerdopatas”. Aproveitou para sugerir que a Folha de São Paulo fizesse uma reportagem sobre o patrimônio dos filhos do ex-presidente Lula antes e depois dele ocupar a presidência.

“Desse jeito a imprensa brasileira, que está com medo de Bolsonaro, vai acabar elegendo ele no primeiro turno”, disparou, deixando seu protesto em relação a maneira com que a imprensa se comporta ao falar de líderes conservadores.

Assista:




Deixe seu comentário!