Marco Feliciano conversa com embaixador do Sudão sobre os conflitos

O representante do país africano garante que são conflitos políticos e não religiosos


Marco Feliciano conversa com embaixador do Sudão sobre os conflitos

Muitas notícias divulgadas por organizações internacionais afirmam que cristãos estão sendo perseguidos no Sudão, sendo forçados a deixar o lado norte e se mudar para o lado Sul que recentemente foi dividido politicamente entre Sudão e Sudão do Sul.

Diante dessas informações o deputado federal Marcos Feliciano entrou em contato com o Embaixador do Sudão, Abd Elghanni Awad Elkarim, que aceitou conversar com o pastor e explicar a situação de seu país.

Segundo texto publicado no blog de Marco Feliciano o embaixador nega que haja perseguição religiosa e diz que os conflitos no Sudão são tribais.

“Em uma longa explanação nos colocou a par da real situação de seu País em relação às tolerâncias em distinção de credo religioso, pois, que não existe perseguição religiosa nem islamização do País e que, na verdade, o que acontece é que o Sudão recebeu 700.000 cidadãos do sul e que o governo estipulou que até o dia 08/04 do corrente ano, quem quisesse permanecer no Sudão teria que se manifestar, isso tudo sem cunho religioso algum”, relata o pastor.

As informações obtidas por ele garantem que os problemas no Sudão são políticos e não religiosos. Mas diversas agências de defesa do cristianismo enviam matérias falando sobre a perseguição aos cristãos que estão sendo forçados a deixarem o Norte do país.




Deixe seu comentário!