10/08/2014 - 11:34

Marco Feliciano critica PT e evangélicos “esquerdistas”

O deputado pastor afirmou que o partido “traiu toda a comunidade cristã brasileira”.


Marco Feliciano critica PT e evangélicos “esquerdistas” Marco Feliciano critica PT e evangélicos "esquerdistas"

Em 2010, o Deputado Federal pastor Marco Feliciano (PSC-SP), apoiou a eleição da candidata petista Dilma Rouseff. Contudo, ao ser eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, enfrentou forte oposição dos mesmos petistas que antes eram seus aliados. Após algumas decisões do governo que contrariavam os compromissos assinados na época da eleição passada, o PSC como um todo saiu da base de aliados do governo.

Sendo assim, o partido lançou em 2014 pastor Everaldo como candidato a presidente e declarou-se oposição ao PT. Vários rumores surgiram nos últimos meses sobre um possível apoio de denominações evangélicas a Dilma. Oficialmente, apenas a Universal e seu braço político, o PRB, defendem sua reeleição. A maioria dos líderes evangélicos tem feito companha para que os cristãos não votem em nenhum candidato ligado ao PT.

Em maio, Feliciano deu uma entrevista onde negava que daria apoio a Dilma, lembrando que o governo o usou como “bode expiatório” enquanto deputados petistas envolvidos no mensalão assumiam cargos na Comissão de Constituição e Justiça. Afirmou que rompeu com o PT e que o partido “traiu toda a comunidade cristã brasileira”.

O motivo principal para a decisão de Feliciano foram as decisões relacionadas ao aborto, pois Dilma assinou em 2010 um documento comprometendo-se a não legalizar a prática no Brasil. Mas na prática isso não aconteceu.

Assim como Feliciano, outros integrantes da Bancada Evangélica que antes estavam ao lado de Dilma agora são contrários a ela e denunciam o discurso enganoso do PT nesta época de eleição. O senador Magno Malta (PR/ES) também se manifestou recentemente.

Malta publicou na internet um vídeo listando uma série de propostas do atual governo que enfrentaram resistência da Frente Parlamentar Evangélica, incluindo a legalização do aborto e a chamada “lei da palmada”. Também lembrou aos evangélicos que Carvalho os chamou de “cabeças ocas comandados por pastores de televisão” que os militantes petistas precisariam “tomar” as classe “C” e “D” dos pastores.  Por fim, o senador pediu respeito aos evangélicos, afirmando que eles não seriam enganados.

Esta semana, Feliciano voltou a usar as redes sociais para alertar os evangélicos sobre a aproximação dos petistas nesta época de campanha atrás de votos desse segmento. Usando a palavra “denúncia”, o deputado criticou o comitê evangélico criado para buscar esse apoio.

Feliciano afirmou que foi “otário” quando participou de esforço semelhante em 2010, mas isso se revelou uma “mentira”.  Esclareceu que o governo usa o termo “profilaxia da gravidez” para fugir do termo aborto e aprovou a portaria 415 prevendo que o SUS pagaria cerca de R$ 400,00 por procedimentos abortistas.

Somente com um esforço da Bancada Evangélica foi possível reverter isso. Mas um projeto “cavalo de Tróia” acabou liberando a prática de forma velada. Além disso, é sabido que o governo atual conseguiu de forma extra-oficial tornar legal a união civil de homossexuais

Feliciano também criticou os evangélicos “progressistas” ou “esquerdistas” que apoiam todas essas propostas do PT. Denunciou que essas pessoas que se apresentam como representantes dos evangélicos receberam “uma fortuna” para isso. “Vote em pessoas que pensam como você. É a chance que temos… por que essas leis podem beneficiar o povo ou desgraçar a vida do povo”. “Precisamos mudar e a mudança é não votar na presidenta Dilma e não votar no PT”, encerrou.

O vídeo foi compartilhado milhares de vezes no Facebook e tem gerado polêmica, com muitas pessoas fazendo eco ao pedido do pastor.

Assista: