Marina Silva é contra o impeachment, quer novas eleições

“Será julgamento ético dos partidos”, afirmou em entrevista


Marina Silva é contra o impeachment, quer novas eleições

A ex-senadora pelo PT, ex-ministra de Lula e candidata a presidente pelo PV (2010) e PSB (2014), Marina Silva tem um histórico de vida ligado aos movimentos sociais como o MST.

Alçada à condição de favorita numa nova disputa presidencial em 2016, ela tem sido uma voz dissonante em meio a atual crise política da nação. Ex-seringueira, a professora Marina é evangélica e missionária da Assembleia de Deus.

Marina foi a entrevistada desta segunda (28) pelo Programa do Jô e deu uma longa entrevista ao jornal Estado de São Paulo no dia seguinte. Em ambas as ocasiões, ela defende que o impeachment de Dilma não seria a solução para os problemas do país.


  Psicólogo ajuda cristãos a vencer o vício da pornografia


Para ela, a chapa de Dilma e seu vice-presidente Michel Temer se beneficiou do mesmo esquema. Logo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) poderia pedir a cassação de ambos e o país teria novas eleições este ano. “O PMDB e o PT praticaram juntos os mesmos crimes”, resume.

Para ela, “uma nova eleição possibilitaria um julgamento político, ético e moral dos partidos”.  Atualmente ela lidera a Rede Sustentabilidade, legenda que vem abrigando desde sua fundação vários políticos oriundos de partidos de esquerda como PCdoB, PSOL e inclusive o PT, onde ela ficou por 23 anos. Mas Marina afirma não saber se irá concorrer.

O argumento que defende é que seja dada “a possibilidade da escolha de um novo presidente para essa transição de dois anos, com base no debate que dê saídas para um repactuamento da crise que estamos vivendo”.

Sua análise é franca: “no meu entendimento, quanto mais o lado político é reforçado pelo que está sendo comprovado no âmbito da Lava Jato, mais se impõe a tese de que a saída deve ser pelo TSE. Porque os dois partidos ficaram 20 anos no poder praticando juntos essas irregularidades. As diretorias da Petrobrás foram distribuídas entre o PT e o PMDB, havia uma coordenação entre PT e PMDB para o gerenciamento da propina. Como é que agora a gente pode acreditar que uma parte é punida e a outra parte é ungida ao bastião da salvação dos problemas que eles mesmos criaram?”

A maioria dos parlamentares ligados à Rede se posicionou a favor do impeachment. Sua líder acredita que novas eleições dariam a todos os partidos “a oportunidade de se reapresentar”. Somente um novo sufrágio possibilitaria “um julgamento político, ético e moral dos partidos políticos, obrigando-os talvez a terem que fazer uma espécie de ajustamento de conduta”.

Somente com um novo pacto, “estabelecido pelo voto do cidadão, com certeza você teria muito mais sustentabilidade para as medidas que precisam ser tomadas nessa transição”, insiste.

Comentando o “desembarque” do PMDB do governo Dilma, confirmado nesta terça (29), ela criticou o partido do vice por ter saído de um governo “do qual foi o maior sócio e beneficiário” sem dar nenhuma satisfação, autocrítica, proposta ou pedido de desculpas à sociedade, sendo “igualmente responsável por tudo o que levou à situação atual”.

A postura de Marina vem sendo muito criticada nas redes sociais. A maioria a acusa de ter feito parte do governo de Lula e nunca ter se pronunciado veementemente contra o ex-presidente nem tratar dos crimes do qual é acusado.

Surgiu inclusive uma espécie de “campanha antiMarina” no Facebook. O MBL (Movimento Brasil Livre) publicou uma imagem, reproduzida milhares de vezes, que diz:

“A gente não fez tudo isso para você ir lá e votar na Marina em 2018. Marina, gente? Sério?”

Profecias polêmicas

Em 2010, o nome de Marina Silva foi citado em profecias, especialmente da apóstola Valnice Milhomens. No ano seguinte, o pastor Bob Hazlett do Ministério Touch of Fire, pregava na Conferência Dunamis 2011 e trouxe uma revelação. O pastor americano contou que teve uma visão sobre a política brasileira, onde via uma mulher sendo controlada por um homem como se fosse marionete.

“Ela era sua marionete, e ele falava ‘ela vai fazer o que eu mandar ela fazer’. Mas eu vi então a palavra do Senhor vir como se fosse uma espada que começou a cortar as cordas dessa marionete”, disse Bob.

Anunciou também que Deus mudaria o controle da nação, levantando uma mulher “segundo o coração de Deus” que se ajoelha diante de Deus. Sua eleição iria abalar a nação brasileira e levá-la para uma época de prosperidade.

Em meio à campanha de 2014, o pastor André Salles, que faz parte do ministério Plenitude do Trono de Deus, declarou que teve uma revelação divina enquanto orava. Afirmou que via Marina Silva andando por uma trilha de luz. “Vejo o próprio Deus preparando o caminho para ela passar”, asseverou. “O Senhor tem esse propósito para a vida dela, de ser presidente do Brasil”.

E foi além. “O Brasil vai melhorar com Marina. A Bíblia diz que quando o justo governa, o povo se alegra. O justo não significa o religioso, mas o honesto. Essas características de humanidade, de temor e amor a Deus ela tem”.




Deixe seu comentário!