Marisa Lobo tem registro de psicóloga cassado por demonstrar sua fé nas redes sociais

Psicóloga aguarda publicação no diário oficial do Conselho Federal de Psicologia.


Marisa Lobo tem registro profissional cassado

O Conselho Regional de Psicologia (CRP) do Paraná decidiu cassar o registro profissional da psicóloga cristã, Dra. Marisa Lobo, pré-candidata a deputada federal pelo Partido Social Cristão. O julgamento do Conselho de Ética por suposta quebra de ética profissional foi realizado na última sexta-feira (16).

Desde 2012 Marisa vem sendo intimada pelo CRP por não ter acatado a ordem de retirar de seus sites e redes sociais todo o conteúdo que vincule sua profissão a posicionamentos religiosos.

Marisa Lobo foi intimada após denúncias feitas por ativistas homossexuais e ateus que acusavam a profissional de ter usado o seu consultório para promover sua crença ou induzir convicções.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


O site iGay, um dos mais influentes do país no segmento LGBT, convidou militantes, juristas, blogueiros e representantes da comunidade LGBT para apontar quem foram as pessoas que mais “dificultaram as conquistas pela igualdade de direitos em 2013”. O nome da psicóloga apareceu entre os 10 sugeridos pelo público.

Ao Gospel Prime Marisa Lobo informou que não houve chance de defesa e que “ninguém prestou atenção” quando o relator do caso falava a seu favor. “Ninguém pode ser cassado sem denuncia de paciente, mas eu posso porque sou cristã”, disse a psicóloga Marisa Lobo.

Cura Gay

Marisa Lobo enfrentou o Conselho Federal de Psicologia (CFP) ao participar de audiências públicas em favor do Projeto de Decreto Legislativo 234 que torna sem efeito parte do Artigo 3º e o Artigo 4ª da Resolução nº 1 do Conselho Federal de Psicologia.

O projeto foi apelidado pela imprensa de “Cura Gay”, por tentar reverter a invasão do CFP na relação psicólogo-paciente impedindo com que os profissionais tratem homossexuais que procurarem seus consultórios pedindo ajuda.

“Mesmo admitindo no relatório que eu não curei gay, ou ofereci tratamento, mesmo o relator afirmando que não foram encontradas provas de tal ato, ainda assim, me cassaram por eu dizer na mídia que conheço ex gay”, terminou.




Deixe seu comentário!