Missionária conta que foi ao motel com o diabo

Neuzilene se desviou da igreja e passou a fazer sucesso em uma dupla sertaneja até que esteve face a face com o demônio


Missionária conta que foi ao motel com o diabo

Durante um culto na Missão Resgate em Feu Rosa, Serra, Espírito Santo, a missionária Neuzilene contou seu testemunho dizendo que foi ao motel com o próprio diabo.



Nascida em lar evangélico ela se desviou aos 18 anos e foi morar em Belo Horizonte onde formou uma dupla sertaneja passando a se apresentar em shows praticamente seminua. Por se expor com pouca roupa a cantora acabou sendo internada com tuberculose. “Eu estava em pele e osso. Jesus me curou e me libertou. Isso em 1993”, contou ela.

Mas antes de ter essa experiência ela vivenciou algo inacreditável: ao aceitar o convite para ir ao motel com um desconhecido percebeu que o homem que a levará era o próprio demônio. Tudo aconteceu quando a ela estacionou o carro em um shopping da capital mineira e um homem a abordou fazendo elogios e então ela aceitou sair com ele.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


O motel escolhido tinha apenas uma entrada e saída de carros. O homem então escolheu a suíte e eles entraram. “Nós entramos e eu fui para o banheiro. Enquanto eu tomava banho, ouvi uma explosão. Me enrolei na toalha, saí do banheiro e a suíte estava cheia de fumaça preta. E aquele mau cheiro de podre, terrível”, conta a missionária.



Neuzilene lembra que ficou aterrorizada e saiu procurando pelo homem no quarto, mas não o encontrou. “Liguei para a portaria perguntando se o homem que estava comigo havia saído, e me disseram que não”. O gerente do motel acompanhado por duas funcionárias foi até a suíte e constaram que realmente havia um cheiro ruim naquele quarto e que o carro daquele homem não estava mais na garagem.

“Uma das funcionárias, que era desviada da Assembleia de Deus, mandou que eu me sentasse e disse:’Olha, você ia ter um pacto de sangue com o próprio demônio. Mas Deus fez com que ele explodisse aqui dentro’. Comecei a chorar e não sabia mais o que falar”, testemunha.



Desde 1994 Neuzilene passou a fazer obra missionária e ao longo desse tempo já gravou três CDs evangélicos. Sua história chegou a ser publicada no Jornal A Tribuna no Espírito Santo.




Deixe seu comentário!