Missionário brasileiro evangeliza em festival de rock

“Esse mundo perdido precisa de salvação”, afirma Luca Martini


Missionário brasileiro evangeliza em festival de rock

Luca Martini, um missionário brasileiro que fez do festival Woodstock seu ponto de evangelização, utilizou o seu canal no YouTube para tratar de suas ações e de sua visão acerca de pessoas que não compartilham da fé cristã como praticantes ou crentes.

“A minha intenção com esse vídeo é de chocar você. Quero te mostrar uma realidade que talvez você não conheça. Te mostrar que o mundo não é como você pensa. Que o mundo está perdido, nós sabemos”, afirmou.



“O que parece não sabermos é que esse mundo perdido precisa de salvação. Só que a impressão que eu tenho é que esse mundo não só precisa, mas está buscando uma salvação”, acrescentou.

Outra pessoa que aparece no vídeo é o missionário Felipe, que também atua no festival, que é um dos mais famosos na história do rock e da contracultura da década de 1960. Ele conta que sua vida pessoal é relacionada com as ações de evangelismo.

“Em 1994 eu tinha 17 anos e era viciado em drogas. Eu tinha fugido de casa. Era um adolescente revoltado que estava em um festival de rock. Era o maior festival do leste europeu. Então, alguém me deu uma Bíblia e pregou o Evangelho”, contou.



“Naquele tipo de festival eu fui miraculosamente salvo. Em meio aos pecadores foi por onde Ele andou e continua andando”, afirmou Felipe, que é um dos líderes de evangelismo no local.

O missionário replica falas de um ateu que não gosta de igrejas, e de uma mulher que afirma que, apesar de gostar do ambiente religioso, não sabe se as pessoas dentro do ambiente gostariam de ter sua presença.



“O que conhecem são mentiras. Que Deus não existe é uma mentira. Uma igreja que não ama é uma igreja de mentira. Mas o que aconteceria se uníssemos duas verdades? Jesus e o amor, que está no seu corpo, a igreja? A história fica muito mais interessante”, afirmou Luca.

“Eu não gosto de religião. Eu acho que a religião é uma mentira, mas eu acredito neste homem que morreu na cruz. Eu acredito que Ele era um homem de verdade. Você sabia que esse homem morreu porque Ele ama as pessoas?”, questionou.

“Os religiosos o odiavam e então o mataram. Mas, ele amava as pessoas. Ele veio para dizer às pessoas que elas são reais, elas são amadas. Infelizmente, as pessoas fizeram dele uma religião”, finalizou Luca, ao se referir ao ateu.

Confira o documentário:




Deixe seu comentário!