Coreia do Norte condena missionário a 15 anos de trabalhos forçados

Ele estava tirando fotos de crianças desabrigadas que passavam fome já que ele atua em um ministério de ajuda social


Coreia do Norte condena missionário a 15 anos de trabalhos forçados

A Coreia do Norte condenou o missionário americano Kenneth Bae a 15 anos de reclusão e trabalhos forçados por crimes contra o Estado, já que ele atuava evangelizando a população.

A sentença foi dada na última quinta-feira (2) pela Suprema Corte, segundo noticiou a agência norte-coreana KCNA. Já algumas agências internacionais fizeram contato com ativistas de direitos humanos na Coreia do Sul que informaram que o cristão foi preso por estar fotografando crianças desabrigadas passando fome, Bae seria ligado a um ministério de assistência social de Ohio, nos Estados Unidos.

A prisão aconteceu na cidade de Rajin em 3 de novembro de 2012 quando estava acompanhando um grupo com mais de quatro turistas. Amigos relataram que Bae mora na cidade de Dalian, na Coreia do Sul, e viaja com frequência à Coreia no Norte para levar alimentos aos órfãos.


  Psicólogo ajuda cristãos a vencer o vício da pornografia


Pela lei norte-coreana, a punição para atos hostis contra o Estado é de cinco a dez anos de trabalhos forçados, além disso, ele também pode receber pena de morte.

Ao tomar conhecimento do caso, o Departamento de Estado de Washington pediu a anistia imediata de Kenneth, pois ele nasceu na Coreia do Sul, mas tem a cidadania americana.

A condenação aconteceu em um momento delicado entre os três países, já que Pyonguang tem ameaçado atacar as bases militares dos Estados Unidos no Pacífico e no Sul.




Deixe seu comentário!