MENU

Missionário conta como oração impediu terroristas de matá-lo: “Sei que foi Deus”

Dave Eubank estava em Mossul, Iraque, na equipe de saúde que dava apoio aos soldados


O missionário Dave Eubank estava em Mossul, Iraque, na equipe de saúde que dava apoio aos soldados dos Free Burma Rangers (FBR), que lutavam ao lado do Exército Iraquiano contra os jihadistas do Estado Islâmico. Em 18 de maio de 2017, ele estava trabalhando na unidade de apoio médico quando ele e o tenente Hussein foram cercados.

Eubank revela que orava todas as manhãs com os soldados dos FBR antes das operações. Seu objetivo era ajudar a evacuar os civis da cidade. Mas quando se viu no meio do fogo-cruzado, cercado pelos combatentes do Estado Islâmico, começou a clamar pelo nome de Jesus assim que ouviu os gritos de “Allah Akbar”. De repente, três homens vieram correndo em sua direção e atirando.

Leia mais

Logo sentiu um dor no seu braço esquerdo e viu que jorrava sangue. Ao seu lado, Hussei estava caído e se contorcia de dor, com três tiros de AK-47 no peito, dois no braço esquerdo e um na perna esquerda. O missionário acreditou que havia chegado a sua hora. “Eu sei que foi Deus quem me ajudou”, testemunha. “De repente, eles simplesmente foram embora”.

Com a ajuda dos missionários Zau Seng e Justin, Eubank conseguiu se levantar e tirar Hussein do meio da rua. Os combatentes do ISIS que estavam escondidos, continuavam atirando. Enquanto a equipe dos FBR atendia Hussein, ele orava.

Demorou mais de 20 minutos até que o blindado do exército iraquiano conseguisse chegar até lá e levasse os feridos até um hospital. Apesar de ter sido alvejado à queima-roupa. Hussein sobreviveu. Os médicos disseram que era um verdadeiro milagre. Um deles afirmou: “ Eu nunca vi ninguém sobreviver a feridas como essa, só Deus poderia ter ajudado você.”

Demorou muito tempo até Hussein receber alta, mas assim que pode, foi procurar Eubank para agradecê-lo. O missionário revela que mesmo sendo cristão, o tenente tinha dificuldades de entender o que havia acontecido. Ele sobreviveu, embora tenha ficando com os movimentos do braço comprometidos.

“Lembrei-o do poder da oração e disse-lhe que muitas pessoas estavam orando por nosso trabalho ali. Nossa equipe se reuniu em oração por ele e pedíamos que Deus nos protegesse”, testemunha Eubank.

De volta aos Estados Unidos, o missionário vem contando essas e outras histórias nas igrejas, pedindo que os cristãos não parem de orar pelos seus irmãos e irmãs perseguidos pelos jihadistas no Oriente Médio. Embora reconheça que há um grande número de mortes, relata o que aconteceu com ele e Hussein como maneira de estimular que mais pessoas se disponham a trabalhar na região. Com informações de FaithWire



Assuntos: , , ,


Deixe sua opinião!