MP denuncia Marcinho VP e Marcos Pereira por associação ao tráfico

O líder da ADUD enviava recados dos traficantes presos para as comunidades onde evangelizava e em troca recebia ‘fama’, segundo denúncia.


MP denuncia Marcinho VP e Marcos Pereira por associação ao tráfico

O traficante Marcos dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, e o pastor Marcos Pereira foram denunciados pela Promotoria de Investigação Penal do Ministério Público do Rio de Janeiro por associação com o tráfico.

Marcinho VP é condenado pela justiça e está preso no presídio de segurança máxima em Catanduvas, no Paraná, já o pastor fundador da igreja Assembleia de Deus dos Últimos está em prisão temporária no complexo de Bangu, no Rio de Janeiro, por conta de denúncias de estupro e coação de testemunhas.

A investigação do MP entendeu que os dois acusados atuavam juntos e usavam a igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD) como estrutura para a prática do tráfico de drogas. O texto assinado pelo promotor Alexandre Murilo Graça diz que o pastor agia como “pombo-correio” levando ordens dos chefes do tráfico que estavam presos para as comunidades onde atuava.

Em outro trecho do documento, o Ministério Público afirma que os bandidos ofereciam ao pastor o direito de filmar “supostas ações de resgate” e assim fazer com que o religioso ganhasse fama. A ação era pegar uma pessoa da comunidade, julgá-la e condená-la e chamar o pastor para aparecer no local e “negociar” com os traficantes a libertação daquela pessoa.

A investigação também afirma que Marcinho VP determinou ações contra a pousada do AfroReggae por conta dessa ligação que tem com o pastor Marcos Pereira, já que José Junior é o principal denunciante contra o religioso. Com informações G1.




Deixe seu comentário!