MENU

Nova lei proíbe cristãos de orarem ao redor de clínicas de aborto

Decisão de corte da Inglaterra deverá afetar ministérios pró-vida


The Good Counsel Network
The Good Counsel Network. (Foto: Reprodução / Twitter)

Uma decisão do tribunal do distrito de Ealing, em Londres, irá afetar os ministérios pró-vida da Inglaterra. A partir desta terça-feira (10) é proibido fazer orações num raio de 100 metros ao redor de uma clínica de aborto.

A votação unânime é uma resposta ao pedido de mulheres que afirmam terem sido “intimidadas” pelas imagens e mensagens expostas do lado de fora dos locais onde são feitos procedimentos para interromper a gestação.

Leia mais

Há mais de 20 anos, o ministério Good Counsel Network, faz vigílias de oração diante da clínica de aborto Marie Stopes. Agora, os voluntários serão forçados a ficar distantes da entrada, não tendo contato com as mulheres que entrarem ou saírem do local.

Richard Bentley, responsável pela clínica comemorou a decisão e disse acreditar que a legislação deverá se estender a todos os centros de aborto legais do país. Para ele, os cristãos, com suas orações e cartazes com imagens de bebês abortados estavam “intimidando as mulheres que procuram atendimento”.

O conselho do distrito de Ealing, que julgou o caso, negou que estava, na prática, criminalizando a prática da oração, apenas regulamentando a “zona de proteção” ao redor das clínicas.

Elisabeth Howard, porta-voz da campanha Be Here for Me [Fique Aqui Comigo], afirmou que Londres está “engolindo a narrativa pró-escolha sem questionar” as consequências. Também afirmou que seu grupo apenas oferecia ajuda para as mulheres que não estavam seguras que desejavam abortar. Com informações BBC



Assuntos: , ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias