ONU pede ao Vietnã que pare com a perseguição religiosa

A esposa de um pastor preso tem sido torturada pelas autoridades vietnamitas


ONU pede ao Vietnã que pare com a perseguição religiosa

O governo do Vietnã foi advertido por dois especialistas da ONU que condenam o país por conta da perseguição religiosa contra uma mulher que já foi presa e torturada diversas vezes.

Os especialistas Heiner Bielefeldt e Juan E. Méndez relataram que Tran Thi Hong é perseguida por denunciar à comunidade internacional que seu esposo – o pastor Nguyen Cong Chinh – está preso por realizar atividades religiosas.



O pedido dos especialistas em direitos humanos da ONU é para que o governo cesse toda a criminalização, perseguição e assédio contra líderes religiosos e contra atividades de direitos humanos e seus familiares.

Segundo informações das Nações Unidas, Tran foi presa em abril deste ano e foi torturada e advertida para deixar de promover a liberdade de religião. Após esse fato, ela foi solta e presa outras vezes pelas autoridades vietnamitas.

“Estamos preocupados que as repetidas prisões e a detenção contínua de Tran seja resultado de seu trabalho pacífico em direitos humanos e no exercício de seus direitos fundamentais, fato que constitui detenção arbitrária”, disseram os especialistas.



O pedido é para que Tran tenha liberdade “incondicional” e também para que o Vietnã passe a respeitar o direito de comunidades religiosas. O mesmo texto ainda pede a libertação do pastor que foi preso em 2011 por ser o diretor da Igreja Aliança Luterana Vietnã-EUA, que é considerada pelas autoridades como “antigoverno” e “anticomunismo”.




Deixe seu comentário!