MENU

País de maioria islâmica libera distribuição de Bíblias em árabe

Desde 2013, a Sociedade Bíblica do Sudão não recebe nenhuma Bíblia para distribuir aos cristãos


Imagem: World Watch Monitor

Um carregamento de Bíblias traduzidas para a língua árabe estava preso no porto do Sudão desde 2011. O motivo nunca foi claramente explicado pelos oficiais da alfândega. Após o governo fazer a liberação no final de setembro, elas devem ser distribuídas em todo o país.

Naquela nação islâmica, os cristãos são menos de 0,5% dentre os 42 milhões de habitantes. Os seguidores de Jesus  enfrentam a escassez de Bíblias e materiais de ensino cristão.

Em outubro do ano passado, um líder cristão que supervisiona a importação de centenas de milhares de Bíblias e literatura cristã para o Sudão disse que a Sociedade Bíblica não recebia nenhuma nova Bíblia desde 2013.

O Sudão é o quarto na Lista Mundial da Perseguição 2018, dos 50 países que hostilizam os cristãos.  Em 2011, o presidente Omar al-Bashir disse que queria adotar uma constituição “100% islâmica”. Em 2017, as autoridades prenderam vários pastores e anunciaram a demolição de dezenas de templos, em sua tentativa de estabelecer a sharia, lei religiosa islâmica, sobre todos os habitantes. Isso dificulta muito a vida dos que não se declaram muçulmanos, pois são tratados como “infiéis”.

No último ano, missionários estrangeiros foram expulsos, igrejas confiscadas ou demolidas, e muitos líderes perseguidos e presos. A Portas Abertas que atua no Sudão, dando suporte à Igreja Perseguida, pede orações para que Deus permita a importação de mais Bíblias para distribuição aos sudaneses.




Deixe sua opinião!