Papa visita igreja pentecostal e pede perdão pela perseguição

Ele se referiu ao período do regime fascista da Itália entre 1922 e 1943


O Papa Francisco abraça o pastor evangélico Giovanni Traettino. (Foto: Carlo Hermann/AFP)
O Papa Francisco abraça o pastor evangélico Giovanni Traettino. (Foto: Carlo Hermann/AFP)

O papa Francisco esteve nesta segunda-feira (28) visitando a Igreja Evangélica da Reconciliação em Caserta, na Itália. Esta foi a primeira vez que um líder da Igreja Católica visitou uma igreja pentecostal.

Antes de falar aos 350 fiéis evangélicos, Francisco se reuniu privadamente com o pastor Giovanni Traettino, de quem é amigo há muito tempo.

Ao iniciar seu discurso aos evangélicos, o líder católico pediu perdão pela perseguição católica durante o regime fascista na Itália (1922-1943) que impedia que os protestantes praticassem sua fé.


  Psicólogo ajuda cristãos a vencer o vício da pornografia


“Entre os que perseguiam e denunciavam pentecostais, quase como se fossem pessoas loucas tentando destruir a raça [humana], haviam também católicos”, disse Francisco.

Tomando pra si a responsabilidade de se desculpar, o papa pediu para que os pentecostais perdoassem os católicos. “Eu sou o pastor dos católicos e peço perdão por aqueles irmãos e irmãs católicos que não compreenderam e foram tentados pelo Diabo”.

Em seu discurso o papa voltou a defender a unidade entre as igrejas cristãs e afirmou que muitos se surpreenderiam com a visita dele a uma igreja evangélica, mas para ele a visita é como “visitar seus irmãos”.

Papa Francisco em Igreja pentecostal
Francisco cumprimenta mulher durante visita à Igreja Evangélica da Reconciliação em Caserta

“O Espírito Santo cria diversidade na igreja. A diversidade é bela, mas o próprio Espírito Santo também cria unidade, para que a igreja esteja unida na diversidade que é reconciliadora”. Com informações G1 e Folha de SP.




Deixe seu comentário!