MENU

Paraguai, Honduras e República Checa podem mudar embaixadas para Jerusalém

Brasil continua votando contra Israel na ONU e não pretende fazer a mudança


Depois dos Estados Unidos, a Guatemala anunciou a mudança de sua embaixada em Israel para Jerusalém em maio.

Agora, República Checa, Paraguai e Honduras anunciam que estão prontos para fazer o mesmo. Segundo o The Times of Israel, os países latino-americanos estariam condicionando a decisão final a uma visita do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu a seus países.

Leia mais

Desde dezembro de 2017, quando o presidente Donald Trump fez o anúncio sobre o reconhecimento de Jerusalém como capital e a consequente mudança da representação diplomática, o governo israelense vem afirmando que estavam em contato com outras nações que pretendiam seguir o exemplo.

Honduras, estava no grupo que países que se opôs à resolução da Assembleia Geral da ONU que tentou anular a decisão de Trump. O Paraguai se absteve, mas em outras votações ficou ao lado de Israel.

Netanyahu visitou a América Latina em meados do ano passado, mas não esteve nem em Honduras nem no Paraguai. Se esse realmente for o único detalhes para a efetivação das mudanças, será resolvido facilmente.

A embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Nikki Haley, elogiou a intenção de Honduras por seu voto na ONU durante sua visita ao país em fevereiro. O presidente hondurenho Juan Orlando Hernández disse que “Não foi uma decisão fácil, mas o povo estava conosco e somos livres para decidir onde queremos nossa embaixada”.

O presidente da República Checa, Milos Zeman, declarou na semana passada que desejava “acelerar o processo” de mudança da embaixada para Jerusalém, mas enfrentava resistência política, uma vez que a União Europeia já se declarou contrária, preferindo apoiar a Autoridade Palestina. Por isso, o Ministério de Relações Exteriores checo disse que reconhece a porção Ocidental de Jerusalém, nas linhas de 1967 como a capital do país.

O Brasil permanece com sua postura desde o governo Lula de se manter favorável aos palestinos tendo, inclusive, reconhecido a Palestina como país em 2010 e oferecido o terreno para a construção de uma embaixada palestina em Brasília. Foi a primeira do tipo fora do mundo árabe.

O ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes esteve recentemente em Israel e nos territórios palestinos. Ele garante que foi feito um convite para Benjamin Netanyahu visitar o país em junho, mas não indicou qualquer mudança em relação ao reconhecimento de Jerusalém, uma vez que o Brasil segue a orientação da ONU sobre o assunto. Com informações de The Times of Israel



Assuntos: , , ,


Deixe seu comentário!

Mais notícias