Pastor é ameaçado de morte por ajudar jovens que querem deixar a homossexualidade

Jeremy Schossau denuncia a hipocrisia do movimento LGBT


pastor Jeremy Schossau
pastor Jeremy Schossau

O pastor Jeremy Schossau, da Igreja Metro City, em Riverview, Michigan (EUA), está enfrentando uma dura perseguição após iniciar um programa de ajuda para adolescentes que desejam deixar a homossexualidade.

Após publicar no Facebook que sua igreja oferecia um workshop chamado “Sem vergonha de ser quem você é” para meninas que estão lutando contra a ideia de serem trans, bi ou gay, ele passou a ser ameaçado por ativistas LGBT.

As acusações é que ele estaria oferecendo um “programa de conversão”, querendo mudar a orientação sexual das adolescentes. Seth Tooley, que já foi membro da igreja, mas a abandonou após se assumir gay acusa o pastor e a esposa de “abuso” por que oraram publicamente por ele, tentando expulsar “o demônio da homossexualidade”.

Ele estava entre as dezenas de pessoas que fizeram um protesto em frente ao templo da Metro City. De acordo com Schossau, ele e sua família receberam ameaças, inclusive de morte.

O líder religioso publicou um vídeo no YouTube em resposta à controvérsia, onde desabafa: “As pessoas literalmente ameaçaram matar a mim e a minha família, queimar nossa casa, queimar nossa igreja, atacar as pessoas da nossa igreja e nossa equipe. É absolutamente louco”.

Após a enxurrada de críticas, o pastor decidiu apagar a página da sua igreja no Facebook.

Recentemente, o estado do Michigan aprovou uma lei para proibir a “terapia de conversão” que, assim como no Brasil, é ridicularizada como “cura gay”.

Schossau ressalta que ele não oferece “terapia de conversão”, mas procura conversar com quem busca ajuda, “sem condenação”. Deixou claro que os pais são convidados a participar e tudo é feito abertamente.

“Não forçamos as crianças a participarem. Nós perguntamos se eles querem estar lá. Estão ali porque estão lutando contra seus sentimentos, estão procurando algum conselho ou direção, alguém para ouvi-los. É pura hipocrisia da comunidade gay a defesa de que você é livre para escolher abandonar a heterossexualidade e abraçar a homossexualidade, mas não pode sair da homossexualidade para a heterossexualidade”, assegura. Com informações CBN




Deixe seu comentário!