Pastor é acusado de espalhar ódio ao pregar que islã é “um perigo”

Membro da igreja publicou o material on-line dizendo se sentir ameaçada


Pastor é "massacrado" após pregar que islã é "um perigo"

Um pastor da cidade de Stockton, Califórnia, está sendo “massacrado” nas redes sociais após pregar um sermão onde mostra no que creem os muçulmanos e por que o Islã representa um perigo para a sociedade ocidental.

Líder da Igreja Christian Life Center, o pastor Nathaniel Haney é um estudioso das profecias sobre o final dos tempos e regularmente ensina sobre o assunto tanto em sua congregação quanto na internet.

Contudo, agora ele está sendo acusado – principalmente por cristãos – de promover “discurso de ódio”. Na semana passada, ele pregou sobre o que chama de “problema muçulmano”. Evangelina Solano Rosas, que frequenta a igreja, gravou o sermão e decidiu postar o material nas redes sociais, causando revolta na comunidade islâmica. O debate tomou grandes proporções e chegou a ser notícia na TV local.


  Professor ensina a cantar afinado em 61 dias


“Eu sei que algumas pessoas acreditam no que estou dizendo, mas estão com medo de falar por que podem ser vítimas de um atentado”, afirmou Haney durante seu sermão. Ele também afirmou: “Se você nunca saiu do país e nunca esteve em um país muçulmano, não entende o quanto o Islã é maligno. As pessoas não entendem quão ruim o Islã é”.

A senhora Rosas, que tem amigos muçulmanos, disse que decidiu compartilhar o sermão nas redes sociais pois considera que o pastor Haney estava atacando a ela e a seus amigos. Também acredita ser perigoso que alguém se sentisse motivado a atacar a comunidade muçulmana por causa dessas palavras.

Ele lembra que existe uma mesquita bem próxima à igreja. Disse ainda que as declarações de Haney poderiam “plantar ideias de ódio” na cabeça das pessoas que o ouvem. Como é comum nas redes sociais, islâmicos reclamaram do que consideram ataques e exigindo o direito de exercerem sua liberdade religiosa. Eles também minimizaram o fato de que na maioria dos países muçulmanos os cristãos são proibidos de exercer a sua fé.

Alguns membros da igreja declararam seu apoio ao pastor Haney. Eles acreditam que o vídeo mostra só um trecho, tirando as declarações de seu contexto e que seu pastor sempre mostrou que deseja alcançar o povo muçulmano com o evangelho.

Para o advogado do Centro das Relações Americano-Islâmicas, Saad Sweilem, o sermão do pastor Haney é discurso de ódio. Embora reconheça o direito do líder da igreja falar sobre qualquer assunto dentro do seu templo, reclama que ele usa o púlpito para “espalhar ódio” em vez de amor. Com informações de Christian Daily




Deixe seu comentário!