MENU

Pastor do PSOL afirma que “o bolsonarismo matou Jesus”

Henrique Vieira também diz que Jean Wyllys representa Cristo no Congresso


Henrique Vieira
Henrique Vieira. (Foto: Reprodução / Youtube)

O pastor Henrique Vieira, da Igreja Batista do Caminho de Niterói (RJ), é conhecido por seu discurso ácido contra todos os líderes evangélicos conservadores. Em diversas ocasiões, criticou a existência da bancada evangélica no Congresso Nacional.

Colunista do site de esquerda Mídia Ninja e filiado ao PSOL, Vieira ganhou destaque na grande mídia ao se apresentar como um representante “progressista” do segmento evangélico. Ele defende, por exemplo, a legalização do aborto, das drogas e sempre defendeu a agenda LGBT.

Leia mais

Durante a campanha deste ano, deu um depoimento em vídeo, utilizado na campanha de Jean Wyllys (PSOL/RJ) onde afirmava que o político era “a presença de Cristo” e “um profeta” no Congresso.

Pastor Henrique Vieira apoia Jean Wyllys 5005 para deputado federal

Meu amigo Henrique Vieira, um pastor evangélico que defende a laicidade do Estado e os direitos da população LGBT, é uma luz de esperança nessa época de fundamentalismos. E, além disso, ele é um poeta, um cara com uma sensibilidade e uma inteligência muito especiais. Ele participou do programa de TV da minha campanha em 2014 e eu me sinto muito orgulhoso por contar com o apoio dele, novamente, nesta campanha de 2018. Henrique acredita num cristianismo humanista, libertário e inclusivo e, junto comigo, também é resistência contra a homo/lesbo/transfobia e contra todas as formas de preconceito. Nós somos resistência! #JeanWyllys5005 #UmDeNós__Doe para a nossa campanha: http://jeanwyllys5005.com.br

Posted by Jean Wyllys on Sunday, September 23, 2018

Em uma manifestação mais recente, voltou-se contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL). “Eu reconheço que o fundamentalismo cristão religioso, especialmente evangélico, é semente de um fascismo no nosso país”, insiste.

De forma anacrônica e com distorções do texto bíblico, provocou: “Sou discípulo de um prisioneiro político, torturado, que foi chamado de herege pelos líderes religiosos; foi executado pelo Estado em nome da ordem e da lei; preso injustamente, sob o aplauso de muitos cidadãos que se reconheciam como cidadãos de bem. Ou seja, o bolsonarismo matou Jesus há mais ou menos 2 mil anos atrás”.



Assuntos: , , , ,


Deixe sua opinião!