Pastor é suspenso por usar dinheiro da igreja para libertar escravas sexuais

 “Vigário de Bagdá” foi suspenso depois de ser acusado de utilizar dinheiro da igreja para libertar mulheres


Pastor é suspenso por libertar escravas sexuais dos terroristas

O reverendo Andrew White, importante líder da igreja anglicana no Iraque e conhecido como o “Vigário de Bagdá” foi suspenso da Fundação para o Alívio e Reconciliação no Oriente Médio, organização cristã que ele presidia. A acusação é que ele usou dinheiro da igreja para comprar escravas sexuais do Estado Islâmico e libertá-las.

A Igreja Anglicana está fazendo uma investigação do caso desde o mês passado. Limitou-se a emitir um comunicado que diz: “Não seria apropriado fazer comentários sobre uma investigação ativa, além de dizer que a Fundação acredita que, nesta fase, o incidente mostrou um desejo genuíno do reverendo White em ajudar os outros”.

O pastor foi responsável pela Igreja Anglicana de St. George, em Bagdá, durante anos, sendo o único pastor estrangeiro a ficar na cidade após o início da guerra, em 2003. Ele saiu do país dois anos atrás, após repetidas ameaças de morte do Estado Islâmico.


  Realize o Seu Sonho de Tocar Piano sem Sair de Casa. Comece Agora!


De volta à Inglaterra, passou a colaboração com a Fundação para o Alívio e Reconciliação no Oriente Médio. Também faz viagens constantes a Amã, capital da Jordânia, onde trabalha com refugiados.

Após a imprensa noticiar que estavam fazendo um trabalho de caridade com ex-escravas sexuais do Estado Islâmico, seu trabalho passou a ser questionado. White nega as acusações, afirmando que “em nenhum momento pagamos dinheiro a quaisquer terroristas”. Ele explica que seu trabalho sempre esteve focado em ajudar as fugitivas e nunca envolveu dar dinheiro a terroristas.

White também disse que não estava diretamente envolvido com o trabalho de Steve Maman, empresário canadense que já libertou mais de 100 meninas cristãs e yazidis das mãos do Estado Islâmico.  Sua organização é acusada de pagar entre dois e três mil dólares para comprar uma escrava sexual. Embora ela as liberte, foi severamente criticado, acusado de ajudar o tráfico humano na região a crescer.

Debate ético

Embora seja o criador da Fundação, ela está subordinada à Igreja Anglicana. A imagem do pastor Andrew continua no site da instituição que vive de ofertas voluntárias. Segundo relatórios, o orçamento anual é cerca de 4,5 milhões de dólares. Além do Iraque, eles fazem trabalhos humanitários em diversas partes do Oriente Médio.

Em sua conta do Facebook, o pastor não comentou a investigação. Ele está em Israel, onde tem trabalhado junto com grupos que promovem o diálogo religioso. O seu caso é tratado pela imprensa como um debate ético. Levanta-se a antiga questão de qual é o custo de uma vida.

O pastor ficou conhecido por denunciar ao mundo os horrores da guerra religiosa. Embora negue ter dado dinheiro aos terroristas, alegando que suas declarações foram tiradas de contexto, sofreu severas críticas. Parte da liderança anglicana acredita que o dinheiro doado à igreja de modo algum poderia ser usado para “comprar” pessoas. Outros entendem que, uma vez que essa é a única maneira de libertar as meninas, esse tipo de atitude seria aceitável. Com informações de Christian Times e Anglican News




Deixe seu comentário!