MENU

Pastores “abençoam” clínica de aborto e são criticados

Líder batista classifica atitude de "revoltante"


O evento foi chamado pelo jornal The Washington Post de “cerimônia inter-religiosa incomum”, mas a “bênção” da nova clínica de aborto na cidade de Bethesda, Maryland, EUA, gerou uma polêmica nacional.

Os pastores Carlton Veazey, Carl Jackson e as pastoras Cari Jackson e Barbara Gerlach, uniram-se ao rabino Charles Feinberg para fazerem orações e cantaram hinos na abertura do local para interrupção da gravidez, consagrando o local e chamando-o de “sagrado”.

As imagens rapidamente percorreram as redes sociais, causando revolta nos cristãos.

“A Suprema Corte garantiu o direito das mulheres escolherem o aborto. Mas antes, Deus já havia feito isso, porque criou a capacidade moral das mulheres”, disse Veazey. Ele é visto em um vídeo orando para que tudo que for feito no local seja “para a glória de Deus”.

O pastor Jackson é o líder da Coalizão Religiosa Pela Escolha Reprodutiva e, segundo a imprensa, foi ele que organizou a “bênção” da clínica. Os cinco percorreram todas as salas da clínica e também o estacionamento, clamando pela “santificação” do local.

O padre Frank Pavone, diretor nacional da ONG Sacerdotes Pela Vida disse que o ato religioso está sendo usado por movimentos de esquerda para tentar dar a (falsa) impressão que os religiosos também são favoráveis ao aborto. Para Pavone, os que fizeram isso são “falsos profetas”.

“Cuidado com a doutrina religiosa que contradiz a razão e a decência humana. Nenhuma autoridade da Igreja – nem católica nem evangélica – pode justificar um único aborto sequer. Mostre-me uma igreja que permita o aborto e lhe mostrarei uma igreja falsa; mostre-me uma Bíblia que permita o aborto e eu lhe mostrarei que essas pessoas não sabem ler o que escrito ali”, disparou.

Quem também criticou a iniciativa foi o pastor Russell Moore, presidente da Comissão de Ética e Liberdade da Convenção Batista do Sul. Ele chamou a iniciativa de “revoltante” a iniciativa de alguns líderes religiosos terem abençoado uma clínica de aborto. Também os chamou de enganadores. Com informações de Christian Post e Lifesite




Deixe seu comentário!


Mais notícias