MENU

Pastores venezuelanos pedem ajuda e comparam Maduro a Hitler

Em “Carta Aberta”, líderes pedem oração a cristãos de todo mundo pela Venezuela 


Maduro faz discurso em Caracas

Os pastores Moisés Betancourt, Jesús Pinto, Carlos Vielma e Elías Hernández divulgaram uma “Carta Aberta”, onde fazem um pedido para que os cristãos de todo o mundo orem pela Venezuela.

Após o presidente Nicolás Maduro dizer que irá concorrer à reeleição, muitos líderes do país acreditam que a situação no país pode piorar. O texto dos pastores ganhou repercussão em várias mídias em espanhol pelo tom pesado das críticas.

Leia mais

“Nós, pastores cristãos pela graça de Deus em Caracas, Venezuela, pedimos aos conservos em todo o mundo que sejam nossa voz diante do Pai e diante deste mundo. O que está acontecendo nessa nação não tem precedentes históricos. Na era moderna, apenas Adolf Hitler, demonstrou tamanha crueldade”, inicia o documento.

A seguir, eles listam uma série de problemas que vêm enfrentando no país, a maioria deles amplamente divulgados pela imprensa.

“É muito doloroso observar com impotência a morte contínua e constante de seres humanos.   Parte nosso coração e tentamos fazer todo o possível para ajudar a todos! Essas mortes ocorrem principalmente por causa da escassez de alimentos. Estamos em um país onde inúmeras pessoas morrem de fome (principalmente crianças). É doloroso ver as pessoas procurando nas lixeiras algo para comer! Esse nunca foi o desejo de nosso Senhor!”, denunciam os pastores.

Ao falar sobre a saúde no país, relatam que há muita gente morrendo por que há falta de todo tipo de remédios. Por isso, os pastores dizem que nunca oraram tanto pela cura divina. Relatam também que a questão econômica só se agrava. “É impossível para qualquer ser humano viver sob essa inflação desproporcional. Os preços podem subir até 50% no mesmo dia, isso se você conseguir achar o produto”.

A carta fala também que os venezuelanos têm testemunhado um aumento “da perseguição, do desaparecimento e a execução de pessoas, entre outros pecados que estamos constantemente vendo… de todos que se atrevem a levantar a sua voz para reclamar do governo”.

Eles destacam ainda o caso de Oscar Pérez, o militar dissidente que foi executado com um grupo de pessoas que se opunham ao governo Maduro no dia 14 de janeiro. Cientes que se tratou de uma execução clara, os pastores dizem que decidiram se manifestar, mesmo sabendo que passam a correr risco de vida por assinarem o documento.

Embora não exista uma perseguição declarada aos evangélicos na Venezuela, eles dizem que há pastores sendo ameaçados. “Nós estamos fazendo isso porque nosso Senhor nos deu o exemplo em Jesus Cristo, que estava disposto a morrer na cruz para resgatar a vida dos outros; então, com medo, mas com muita firmeza, nos levantamos e sabemos que, se vivemos ou morremos, somos do Senhor. (Romanos 14:8) Nós acreditamos firmemente que o Senhor está no controle e, embora não tenhamos ideia de qual será o impacto desta carta, estamos convencidos de que nossas vidas e esta nação pertencem ao Senhor Jesus Cristo!”, afirmam eles no documento.

Encerram pedindo que sua mensagem seja divulgada para que o mundo saiba o que ocorre naquele país, e clamando pela intercessão dos cristãos de todo o mundo em favor da Venezuela, onde, lamentam, “toda forma de vida (humana, animal e vegetal) está sendo exterminada”.

O documento pode ser lido na íntegra na página “Cristianos por Venezuela”.




Deixe seu comentário!