MENU

Piloto conta como o Espírito Santo lhe ajudou a salvar a vida de 140 passageiros

Capitão Mafella afirma que se tivesse decolado três minutos depois, estaria morto


Reprodução Instagram

Um piloto indonésio está testemunhando como o Espirito Santo o ajudou a salvar a vida de 140 passageiros. O capitão Icoze Mafella, taxiava a aeronave da Batik Air na pista do aeroporto de Palu, na ilha de Sulawesi.

Tudo corria normalmente, até que ele sentiu em sua mente que deveria decolar imediatamente, embora sem a permissão da torre. Evangélico, ele conta que percebeu ser a voz do Espírito Santo e ergueu o avião imediatamente.

Leia mais

Mafella ouviu um estrondo e viu a ponta da pista começar a se desfazer diante de seus olhos, enquanto o terremoto devastava a ilha. Ele acredita que se tivesse demorado mais um pouco talvez não estivesse vivo, uma vez que o aeroporto acabou sendo quase totalmente destruído.

O capitão falou sobre a experiência sobrenatural em uma igreja na capital Jacarta. Diante dos seus irmãos de fé, explicou que começou a cantar canções de adoração na cabine desde cedo naquela fatídica sexta-feira, 28 de setembro. O voo ia para Ujung Pandang onde faria uma breve parada, de onde voaria para o destino final: Jacarta.

Mafella explica que quando eles estavam prestes a aterrissar no aeroporto de Palu, o vento estava muito forte e ele “ouviu uma voz” dizendo que deveria ter cuidado extra. Sem entender, ele recitou o Salmo 23. Após o reabastecimento, ele sentiu-se incomodado novamente, e pediu para que a tripulação se apressasse para que pudessem sair logo.

“Eu nem saí do cockpit e pedi permissão à torre de controle para decolar três minutos antes do previsto”, lembra. Assim que recebeu permissão do controlador aéreo Anthonius Agung, Mafella sentiu tanta urgência que desobedeceu os procedimentos padrão e pediu para seu co-piloto se apressasse.

“Eu não sabia por que, mas minha mão continuou empurrando o manche, fazendo com que o avião acelerasse mais do que precisava para decolar”, disse ele. Os pilotos sentiram o avião balançar fortemente quando chegaram ao final da pista.

Três minutos

“Se eu tivesse decolado três minutos depois não teria conseguido salvar os 140 passageiros, porque o asfalto estava subindo e descendo como uma cortina ao vento”, detalha. Eles puderam observar as grandes crateras se abrindo no chão e o capitão tentou falar com a torre de controle, mas não houve resposta no rádio.

Somente quando chegou ao seu destino é que soube da gravidade do terremoto e do tsunami que ocorreram na sequência em Palu. Agung, o controlador de tráfego aéreo com quem ele falara, acabou morrendo minutos depois, quando a torre de controle desabou.

O capitão ressaltou aos fiéis presentes na igreja a importância de ouvirmos a voz de Deus. “Aconteça o que acontecer, precisamos estar sempre prontos para ouvir claramente a voz de Deus através do Espírito Santo.” Com informações de CBN



Assuntos: ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias