MENU

Presépios de convento têm casal gay e deuses afro, em nome da “diversidade”

"Os visitantes poderão ver como o nascimento de Jesus é representado pelos povos e pelas culturas.", promete exposição.


Presépios da diversidade

Na exposição de presépios do Convento de Santo Antônio, no Largo da Carioca, Rio de Janeiro, há representações do nascimento de Jesus para todos os gostos. Desde o tradicional, com as figuras de José, Maria e Jesus recém-nascido, até os chamados “inclusivos”.

Num deles, prestam a homenagem ao nascimento do Salvador: uma prostituta e um casal homossexual, um portador de HIV, um cadeirante, um casal de idosos e meninos de rua. A obra do artista plástico paulista Luciano de Almeida, de Lorena já está chamando a atenção do público. Para compor o cenário, há manchetes de jornais que exemplificam a falta de oportunidades e a opressão enfrentadas pelos mais pobres.

“O presépio já esteve exposto em São Paulo, por duas vezes, na Alemanha e na Itália. É muito atual, representa vários excluídos da sociedade. Traz uma mensagem que queremos passar. Uma reflexão de amor, de respeito, de solidariedade. São pessoas marginalizadas, e Jesus foi um excluído”, justifica o curador da mostra, frei Róger Brunorio.

O frade acredita que não terá reclamações contra o presépio dos excluídos. Em São Paulo, no ano passado, foram apenas cinco queixas formais. Por precaução, ele diz que colocou a escultura do casal homossexual bem afastada da beirada da mesa — e das mãos dos visitantes.

Um outro presépio, montado na Glória, em frente ao Palácio São Joaquim, também levantou o debate.  Ele pretende “fazer o visitante refletir”, abordando a intolerância religiosa.”Colocamos o Menino Jesus com uma frase: “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei”, conta frei Roger. Ao redor dessa representação do menino Jesus estão vários deuses, como Iansã, do Candomblé, Ganesha, do Hinduismo, e o Preto Velho, da Umbanda.

Presépio ecumênico
Presépio ecumênico

Essa exposição ocorre até dia 7 de janeiro. “Os visitantes poderão ver como o nascimento de Jesus é representado pelos povos e pelas culturas. A exposição acontece no claustro. Você pode se sentar e contemplar este lugar de muita reflexão. Há presépios de mais de 12 países, como Angola, Itália e Peru”, explica o frei.  Com informações de O Globo



Assuntos: , ,


Deixe seu comentário!


Mais notícias