Presidente da Igreja Maranata é intimado a depor sobre desvio de dízimos

9/02/2012 - 14:08

Presidente da Igreja Maranata é intimado a depor sobre desvio de dízimos

As acusações sobre desvio de dízimos também estão sendo investigas pelo Ministério Público do Espírito Santo


Nesta quinta-feira, 9, o presidente da Igreja Cristã Maranata do Espírito Santo foi convocado para depor na Delegacia de Defraudações e Falsificações (Defa) sobre as denúncias de desvio de dízimos e outras irregularidades.

O titular da Defa, Gilson Gomes, disse aos jornalistas que o depoimento precisou ser tomado devido à repercussão do caso e também às ligações telefônicas que alguns fiéis fizeram para a delegacia. “Com base nos fatos expostos pela mídia, além da ligação de diversos membros da Maranata que expuseram muitas situações pra gente, resolvemos instaurar o inquérito. A justiça também nos mandou um ofício solicitando nossa participação no caso”, explicou o delegado.

Depois que o líder depor outros membros da diretoria da Maranata e os dois acusados, o ex-vice-presidente e o contador da igreja, também serão convocados para dar suas declarações ao Defa.  “Como a igreja moveu a ação, vamos chamar pessoas que podem ajudar na investigação, como o presidente da instituição”, afirma Gomes.

Esses depoimentos servirão para investigar o caso do desvio de mais de R$2 milhões arrecadados do dízimo pago pelos fiéis. É no Espírito Santo que fica a administração de todas as mais de 5 mil igrejas Maranata, os dois ex-membros estão sendo acusados de fazer caixa dois e cometerem outras irregularidades administrativas.

Em reportagem do G1 o caso é explicado da seguinte maneira: a igreja pedia o orçamento de um serviço e se ele custasse, por exemplo, R$ 5 mil o valor era registrado como R$8 mil, a empresa aprovava uma nota fiscal de R$8 mil, mas só recebia os R$5, pois os outros R$3 mil ficavam com o ex-vice-presidente.

“Vi documentos que comprovam que o patrimônio de um dos denunciados é assustador, incompatível com o que ele ganhava”, exemplificou o ex-pastor, que preferiu não se identificar. Essa testemunha disse que há evidências de que a fraude acontecia desde 2006.

Com informações G1



Leia mais...

Justiça nega vínculo empregatício de pastor

Justiça nega vínculo empregatício de pastor

Justiça aceita denúncia contra 19 membros da Maranata

Justiça aceita denúncia contra 19 membros da Maranata

Justiça condena empresa que obrigava funcionário a ir ao culto

Justiça condena empresa que obrigava funcionário a ir ao culto

IURD terá que indenizar pastor obrigado a fazer vasectomia

IURD terá que indenizar pastor obrigado a fazer vasectomia


Comentários

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar

wpDiscuz