PSC tenta mudar imagem e escala umbandista em SP

"Somos abertos a todos aqueles que querem o melhor para o país. Podem ser gays, feministas, pessoas de outros partidos, espíritas. Não temos restrições", afirma líder jovem do partido.


PSC tenta mudar imagem e escala umbandista em SP

O PSC (Partido Social Cristão) ficou conhecido no país por sua ligação com os evangélicos e a defesa de agendas conservadoras. Atual partido dos deputados Jair Bolsonaro (RJ) e pastor Marco Feliciano (SP), procura mudar sua imagem de olho em 2018.

Segundo a Folha de São Paulo, as lideranças mais jovens do PSC paulista querem “amenizar” a imagem da sigla e apostam na diversificação.

“Somos abertos a todos aqueles que querem o melhor para o país. Podem ser gays, feministas, pessoas de outros partidos, espíritas. Não temos restrições”, afirmou Leandro Bomfim, presidente da Juventude do PSC de Guarulhos.


  Psicólogo ajuda cristãos a vencer o vício da pornografia


Felipe Tavares, outra liderança jovem da sigla diz que “O PSC independe de Feliciano e Bolsonaro, tem suas bandeiras e uma juventude muito forte. Temos o ser humano em primeiro lugar, baseado nos princípios bíblicos”.

Mas esses princípios foram deixados de lado quando o partido apostou na filiação de Maurima Geraldo Nunes, 50, mais conhecida como “Nega Furacão”. A supervisora de vendas é umbandista. No ano passado foi candidata a vereadora em Guarulhos e conseguiu 198 votos.

Embora esteja num partido com “cristão” no nome ela garante que foi bem recebida e que não há preconceitos. “Não temos vergonha de sermos nós mesmos”, afirma.




Deixe seu comentário!