PT comanda o processo de desconstrução da família, diz Marco Feliciano

Deputado usou o Twitter para apontar motivos para os cristãos não votarem em Dilma Rousseff.


PT comanda o processo de desconstrução da família, diz Feliciano

O deputado Pastor Marco Feliciano, candidato a reeleição, usou sua conta no Twitter para fazer duras críticas contra o governo Dilma. Nesta terça-feira o parlamentar publicou uma série de tuites com motivos pelos quais cristãos não devem votar na candidata a reeleição.

“Dilma Rousseff prometeu proteger a família, mas está destruindo. O PT comandou o processo de desconstrução da família”, disse o parlamentar.



O líder evangélico lembrou que Dilma não cumpriu compromissos assinados durante a campanha de 2010. “Dilma Rousseff assinou carta em 2010 se comprometendo a não abordar temas polêmicos, mentiu”, disse Feliciano.

Considerado um dos políticos mais influentes das urnas em 2014, o deputado federal já havia anunciado que faria “dura oposição” à candidata do Partido dos Trabalhadores. Feliciano chegou a afirmar que apoiaria qualquer candidato que fosse para o segundo turno contra a petista.

Também anunciou que no segundo turno irá apoiar Marina Silva e chegou a sugerir que o candidato de seu partido, Pastor Everaldo, desista da corrida eleitoral para fortalecer o nome da candidata do PSB.



Em meio às críticas, Feliciano lembrou que Dilma prometeu não mudar a legislação sobre o aborto, não interferir em questões morais e prometeu se abster de enviar para aprovação ou sancionar projetos de lei que versem sobre a legalização do aborto ou casamento gay, não cumprindo nenhuma das promessas.

O parlamentar evangélico lembrou que Dilma falou recentemente que deve retomar o PLC122/2006. “Dilma Rousseff prometeu retomar o PLC122 caso seja reeleita, criminalizando a opinião contra a homossexualidade”.



Marco Feliciano também lembrou que em 2012 durante sua participação no Fórum Social de Porto Alegre, o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, falou sobre suas preocupações em relação a forma como os evangélicos conseguem controlar a classe C da população brasileira e prometeu planejar uma disputa ideológica com os líderes religiosos.

“O governo Dilma vem tentando proibir religião em centros de tratamento químico”, disse. “Dilma vem tentando instalar no país a ditadura petista por decreto, acabando com a democracia”, continuou.

Marco Feliciano criticou a fala da presidente-candidata Dilma Rousseff durante discurso da ONU, defendendo diálogo com os terroristas do Estado Islâmico e lembrou o passado comunista da candidata a reeleição.




Deixe seu comentário!