500 anos da Reforma Protestante recebe homenagens no Congresso

Até deputado do PSOL falou sobre fé


500 anos da Reforma recebe homenagens no Congresso

O aniversário de 500 anos da Reforma Protestante foi comemorado em sessão solene na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (31). Requerida pelo deputado pastor Takayama (PSC/PR), presidente da Frente Parlamentar Evangélica, a cerimônia homenageou também o Dia Nacional da Proclamação do Evangelho, celebrado nessa data.

Além de Takayama, fizeram uso da palavra Onyx Lorenzoni (DEM/RS), Jefferson Campos (PSD/SP), Geovania de Sá (PSDB/SC), Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) e Pastor Eurico (PHS/PE), entre outros.

As apresentações musicais ficaram a cargo de Lilian Duarte e Soraia Moraes. Dois pastores também puderam se pronunciar: Egon Kopereck, presidente da Igreja Luterana do Brasil e o César Augusto, apóstolo da Igreja Fonte de Vida.

Os discursos aliaram análises sobre a importância da Reforma com questões atuais que afligem o Brasil.

“Está na hora de questionarmos os últimos acontecimentos. Assim como Martinho Lutero, precisamos resistir. Não podemos ignorar ou aceitar as ideias deturpadas de liberdade que muitos vêm pregando por aí… Não aceitamos ditadura de maioria, muito menos de uma minoria que agride a palavra de Deus”, enfatizou Takayama durante sua fala.

Pastor Eurico, deputado ligado à Assembleia de Deus de Pernambuco, enfatizou que “se hoje Lutero estivesse vivo, com certeza iria tentar uma Reforma na Igreja Protestante… no Brasil. Muitas denominações usam o nome de Deus, mas suas práticas são semelhantes a da Igreja dominante na época”.

O deputado Sóstenes, pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, enfatizou que a ideia de direitos humanos, reforma agrária e escolas públicas não pertence aos comunistas, mas já eram defendidas durante a Reforma.

Já Geovânia de Sá destacou que o evangelho é “a maior esperança de salvação e transformação na vida do homem” e que é necessário aplicar “as lições de Cristo no relacionamento com a família, amigos nação e Igreja… Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor”.

O pastor luterano Egon Kopereck aproveitou a oportunidade para mandar um recado aos políticos brasileiros: “Somos muito agradecidos pela homenagem, mas gostaríamos mesmo que os objetivos, as lutas, os ideais fossem praticados em nosso dia a dia, assim, quem sabe aquele lema tão bonito da nossa bandeira nacional – Ordem e Progresso – possa ser alcançado”.

O evento teve ainda um surpreendente pronunciamento do deputado Chico Alencar (PSOL/RJ), partido que mais ataca no Congresso a fé cristã. Ele afirmou ser cristão, mas defendeu que a fé “implica em dúvidas e questionamentos”. Assegurou que “Deus não pode ser aprisionado por nenhuma instituição”, para em seguida pedir respeito a todas as religiões. Usando a retórica marxista, pediu “tolerância”, enfatizando que Cristo pregou “igualdade e liberdade”.

O evento pode ser assistido no site da Câmara, clicando AQUI




Deixe seu comentário!