Renato Aragão esclarece polêmica sobre seu próximo filme; “fé e ficção são áreas distintas”

Ele não nega a criação de roteiro sobre ser o segundo filho de Deus, mas afirma que o assunto do mesmo foi deturpado.


Renato Aragão esclarece polêmica sobre seu próximo filme

O ator Renato Aragão veio a público, através de seu blog, para esclarecer a polêmica que se formou a respeito de seu próximo filme “O Segundo Filho de Deus”, título este que já foi alterado.



No texto o comediante lamenta a repercussão que o fato tomou, lembrando a todos que é “católico e temente a Deus”, portanto não abriria mão de sua fé em Jesus, o único Filho de Deus. Porém ele deixa claro que há diferença entre a fé e a ficção.

“Gostaria, entretanto de relembrar que fé e ficção são áreas completamente distintas, mas que sempre despertaram polêmicas, desde Milton, em ‘Paraíso Perdido’ até José Saramago em seu ‘Evangelho Segundo Jesus Cristo'”.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


O personagem do filme cujo roteiro foi escrito pelo próprio Renato Aragão não tem como objetivo se apresentar como um salvador, o ator adianta que como nos outros filmes que estrelou este personagem também seria um atrapalhado.



“Realmente escrevi um roteiro provisoriamente intitulado ‘O Segundo Filho de Deus’, obra de ficção com registro público na Biblioteca Nacional, a qual vem sendo deturpada, dizendo inclusive que eu teria a pretensão de ser o ‘novo’ Jesus!, ABSURDO. O Didi é um grande atrapalhado, e em todos os filmes essa será sempre sua característica”.

Os detalhes desse roteiro não foram revelados no texto publicado nesta quarta-feira (29), mas o nome do projeto foi alterado para “O Segredo da Luz”. Em sua defesa, ele diz que os boatos que tentam denegrir sua imagem são motivados por pessoas que têm inveja do trabalho que ele desenvolve a frente do programa Criança Esperança.



Leia

“Minha empresa já produziu mais de 45 filmes, todos voltados para o entretenimento da família brasileira, respeitando nossos valores e nossa cultura. Sou católico e temente a Deus.

Jamais abriria mão de minha fé incondicional em Jesus, o Filho Único de Deus. Gostaria, entretanto de relembrar que fé e ficção são áreas completamente distintas, mas que sempre despertaram polêmicas, desde Milton, em “Paraíso Perdido” até José Saramago em seu “Evangelho Segundo Jesus Cristo”. Mesmo estes gênios literários e suas polêmicas obras não foram capazes de rebaixar a Bíblia e as histórias de vida ali contidas a meros personagens de obras literárias ou de ficção.

Por que digo isto, porque realmente escrevi um roteiro provisoriamente intitulado “O Segundo Filho de Deus”, obra de ficção com registro público na Biblioteca Nacional, a qual vem sendo deturpada, dizendo inclusive que eu teria a pretensão de ser o “novo” Jesus!, ABSURDO.

O Didi é um grande atrapalhado, e em todos os filmes essa será sempre sua característica. Só para esclarecer, este roteiro inclusive já teve o título alterado para “O Segredo da Luz” e não há previsão para sua realização. Acredito que estas pessoas, que nem sequer tiveram acesso à obra, querem apenas incitar os incautos a juntarem-se a eles nesta invejosa empreitada de denegrir meu nome e desacreditar uma campanha séria que já comprovou sua atuação e eficácia em 27 anos de resultados positivos. Registro que nestes 27 anos isso sempre acontece… infelizmente.

Amigos, desculpem-me pelo desabafo. Mas há horas em que precisamos alçar a voz e proclamar a verdade, principalmente quando o alvo das mentiras passa a ser aquilo que mais prezamos: nossa família e nossa fé.

Mais uma vez, obrigado pelo apoio.

Renato (Didi) Aragão”




Deixe seu comentário!