MENU

Sandra Faraj é inocentada de todas as acusações por tribunal

Deputada distrital diz ser vítima de perseguição ideológica


Sandra Faraj
Sandra Faraj.

Após um verdadeiro calvário de acusações, a deputada distrital Sandra Faraj (PR) teve mais uma vitória na justiça contra a NetPub Serviços de Comunicação e Tecnologia. O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) confirmou em sentença, publicada nesta terça-feira (08), que a parlamentar pagou por todos serviços prestados pela empresa ao gabinete dela.

Na decisão, o juiz Carlos Fernando Fecchio afirma que “o pagamento é provado, em regra, documentalmente”. Com base nessas comprovações, o juiz condenou a empresa NetPub a pagas as custas e honorários advocatícios. Esta é a terceira vitória da distrital desde que iniciou a luta pela inocência dela.

Leia mais

Há 15 meses, a empresa NETPUB disparou uma série de acusações contra Faraj, utilizando-se apenas do testemunho de dois ex-funcionários do gabinete: Manoel Carneiro e Filipe Nogueira Coimbra. Naquela ocasião, Faraj afirmou que estava sendo “perseguida por ex-servidores, insatisfeitos com a exoneração deles”.

Na Câmara Legislativa, em agosto do ano passado, o Conselho de Ética negou o prosseguimento da denúncia. O colegiado, por unanimidade, constatou que o serviço foi integralmente prestado e, os pagamentos devidamente comprovados.

À época, Agaciel Maia (PR), relator do processo, afirmou que não poderia “julgar um deputado apenas a partir de matérias jornalísticas”, já que as acusações não possuíam qualquer comprovação documental.

Em março deste ano, o Conselho Especial do TJDFT também não aceitou a denúncia por total ausência de provas, reforçando a decisão da Câmara Legislativa. Os desembargadores entenderam que não havia como abrir um processo contra Sandra Faraj, porque os serviços haviam sido prestados e os pagamentos comprovados por notas fiscais emitidas e atestadas pela própria empresa NetPub.

Perseguição ideológica

A jornalista Elisa Robson, correspondente do portal Gospel Prime em Brasília, afirmou: “Sandra Faraj é uma deputada que defendeu, desde o seu primeiro dia de mandato, pautas importantíssimas para os cristãos, como Escola Sem Partido e Pró-Vida. Por isso, armações e perseguições da esquerda estão sendo articuladas intensamente. E no Distrito Federal, onde o governo local de Rodrigo Rollemberg é esquerdista, não é diferente”.

Faraj é uma parlamentar muito atuante quando o assunto é a família. Relatora do Plano Distrital de Educação, foi a responsável por abolir, dos currículos escolares, todo o conteúdo com apologia à ideologia de gênero.

Em sua luta pelo fortalecimento das famílias, a distrital militou no combate aos banheiros de gênero e, contra a adoção do nome social nas escolas apresentando diversas moções de repúdio.

Na batalha contra temas que afrontam a infância, os valores das famílias, e, até mesmo à democracia, Sandra Faraj atuou para a derrubada do Decreto de Regulamentação da Lei nº2.615/2000, que criminalizava a opinião em relação à homossexualidade.

A deputada Sandra foi combativa também em sua atuação contra a Pedofilia. Apresentou projetos de lei – formulados em parceria com a Polícia Federal e Polícia Civil – para facilitar a identificação de criminosos que atuam aliciando menores na internet. Atualmente, é a relatora da CPI da Pedofilia.



Assuntos: ,


Deixe sua opinião!