Se não orar, não joga no CEC Orleans

“Comigo, jogador tem que estudar e ir à igreja”, afirma presidente do clube


Se não orar, não joga no CEC Orleans

Uma curiosidade está cercando o novo time profissional de Orleans no Campeonato Catarinense da Terceira Divisão. O ex-jogador Ivanir Soliman, presidente do time orleanense, tem regras firmes e não abre mão da disciplina.

“Não é qualquer um que joga no meu clube. Tenho normas. Comigo, jogador tem que estudar e tem que ir na igreja. Não é preconceito, mas é uma ordem”, diz Ivanir, sem fazer qualquer cerimônia. “Não é por ser evangélico”, afirmou ao Engeplus.

Ivanir (70), durante sua carreira profissional foi goleiro entre 1965 e 83. Jogou em times de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Maranhão e Goiás. O presidente é exigente. “Comigo, jogador que usa brinco nem viaja. Se eu tiver só 11 jogadores e um deles não seguir as normas, eu prefiro jogar com dez”, revelou.


  Psicólogo ajuda cristãos a vencer o vício da pornografia


Soliman também é defensor da centralização de poder nos clubes de futebol. “Quando eu joguei na Caçadorense, mandava só o seu Salésio Kindermann e dava certo. Em outros clubes também, se tem pouca gente mandando, dá certo. Com muita gente dando pitaco, não funciona. Eu trabalho assim também, uns dois ou três no máximo dirigindo”, afirma.




Deixe seu comentário!