MENU

Segundo Forbes, terrorismo se tornou “negócio lucrativo”

Conheça as 10 organizações terroristas mais ricas do mundo


Hezbollah
Hezbollah

Nos últimos anos, os grandes atentados terroristas perpetrados em todo o mundo geraram um clima de medo e tensão na população. As milhares de vítimas fatais eram homens, mulheres, crianças, ricos, pobres, judeus, cristãos e muçulmanos.

Os mais letais ocorreram na Síria, Líbia, Afeganistão, Egito e Somália. Todos planejados, financiados e colocados em prática pelos grupos como Talibã, Estado Islâmico ou Al-Qaeda.

Um levantamento do Instituto de Economia e Paz (de 2015), mostra que somente essas três organizações fundamentalistas islâmicas assumiram a responsabilidade por 74% de todas as mortes em atendados. Sua motivação sempre foi claramente religiosa, mas há um aspecto pouco conhecido por trás desse “negócio lucrativo”.

Leia mais

A revista Forbes, especializada em economia, estabeleceu um ranking dos grupos terroristas mais ricos do mundo.

O general Amos Gilad – ex-chefe do Departamento de Segurança Política do Ministério da Defesa dos EUA e atual presidente do Instituto de Política e Estratégia – explica que “O fator financeiro é crítico para essas organizações. O dinheiro é indispensável para ataques terroristas assim como o combustível é para os automóveis”.

As origens do patrocínio das organizações terroristas nem sempre são conhecidas, embora haja constantes denúncias de que países como Arábia Saudita, Irã, Turquia e Catar possam ser os maiores financiadores.

Uma grande quantidade de dinheiro é necessária para comprar armas e explosivos, transportar equipamentos, financiar operações, administrar campos de treinamento e pagar salários para soldados.

Como não existe “prestação de contas” oficial, os custos são estimados em dados divulgados pelos próprios grupos, além do tamanho e a frequência dos ataques. Os terroristas de grupos como Hezbollah e Hamas, é associado com grupos políticos, sendo mantido com verbas muitas vezes oriundas dos EUA ou de nações europeias para projetos de cunho social ou educativos.

São organizações que mantêm um sistema religioso, político e econômico que exige um enorme financiamento para gerenciar suas ações.

A compreensão do financiamento e dos gastos desses grupos também ajuda a acabar com o mito do “lobo solitário”, alimentado pelos meios de comunicação, que evitam mostrar as verdadeiras motivações de muitas ações terroristas com medo de serem rotulados como “islamofóbicos”.

Segundo a Forbes, as 10 organizações terroristas mais ricas do mundo tiveram os seguintes orçamentos em 2017:

10) IRA (Exército Republicano Irlandês) – US$ 50 milhões

IRA
IRA

Apesar de negociações de paz com o governo do Reino Unido, que incluiu entrega de armas, no final da década de 1990, ainda realiza ações terroristas.

9) Lashkar-e-Taiba (Exército dos Justos) – US$ 75 milhões

Com atuação majoritariamente no Paquistão e Índia, possui uma intricada rede de conexões militares, contando com várias ONGs humanitárias de fachada.

8) Jihad Islâmica (grupo terrorista palestino) – US$ 100 milhões

Fundado em 1979, como braço armado em Gaza do movimento Irmandade Muçulmana do Egito, opera hoje com financiamento do Irã.

7) Kata’ib Hezbollah (Brigadas do Partido de Allah) – US$ 150 milhões

Brigada xiita do Iraque, atua com fundos vindos majoritariamente do Irã para combater soldados americanos após a ocupação de 2003.

6) Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) – US$ 180 milhões

Considerado terrorista pela Turquia e pela União Europeia, é um grupo comunista com um braço paramilitar. Lutam pela independência do Curdistão, que funciona como estado semiautônomo no Iraque.

5) Estado Islâmico (ISIS ou ISIL) – US$ 200 milhões

Apesar de ter sido declarado extinto no final do ano passado, após perder os territórios que dominava na Síria e no Iraque, possui células em diversos países do mundo, associando seu nome com a maioria dos atentados no último ano.

4) Al-Qaeda (A Base) – US$ 300 milhões

Al-Qaeda
Al-Qaeda

Criada por Osama Bin Laden, em 1989, possui bases em vários países do Oriente Médio e do Norte da África. Seu financiamento vem do petróleo saudita, embora tenha sido banida da Arábia Saudita após seu famoso ataque em 11 de setembro de 2001.

3) Hamas (Movimento de Resistência Islâmica) – US$ 700 milhões

Organização palestina, de orientação islâmica sunita, que inclui uma entidade filantrópica, um partido político e um braço armado. Domina a Faixa de Gaza e seus ataques terroristas são sempre contra Israel.

2) Talibã (Estudantes da Lei) – US$ 800 milhões

Talibã
Talibã

Movimento fundamentalista islâmico sediado no Afeganistão, que governou o país entre 1996 e 2001. Possui bases em solo afegão e no vizinho Paquistão. A maior parte de seu financiamento é pelo tráfico de heroína.

1) Hezbollah (Partido de Allah) – US$ 1,1 bilhão

Organização política e paramilitar fundamentalista islâmica xiita, com sede no Líbano. Financiada pelo Irã e pelo comércio de drogas (sobretudo heroína), também possui bases na Síria.



Assuntos: , , , , , ,


Deixe seu comentário!

Mais notícias