MENU

“Ser cristão não é o contrário de ser democrático”, diz Fernando Francischini

Candidato ao Senado pelo Paraná, parlamentar defende que Brasil precisa de mais conservadores na política


O deputado federal Fernando Francischini. (Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)

O deputado federal Fernando Francischini está no seu segundo mandato, mas em 2018 abriu mão da reeleição para concorrer por uma vaga no Senado. Evangélico, ele sempre manteve uma postura claramente conservadora, pautando seu trabalho no Congresso na luta em defesa da família e no combate à corrupção.

“Por 8 anos exerci a defesa das famílias brasileiras com muito afinco”, destaca. “Participei de todas as CPIs, fui um dos autores do pedido de impeachment de Dilma e votei pela investigação de Michel Temer e Aécio Neves. Ou seja, fiz a minha tarefa como cristão e pai de família”.

Leia mais

Um dos principais aliados do pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro, Francischini tentará se eleger senador por acreditar que faltam vozes de direita naquela Casa de Leis. “Sou um grande amigo do Magno Malta e o vejo muito só no Senado. Por exemplo, aqui no Paraná, temos lá o Roberto Requião e a Gleisi Hoffmann, dois senadores da bancada do Lula e contra a operação Lava Jato”, lembra.

Questionado sobre a situação do país, ele acredita que “após 13 anos do PT e de outros partidos de esquerda no Brasil, eles criaram a narrativa deles”. Isso acabou gerando uma divisão que está tendo um alto preço na sociedade. “Sempre que defendemos a família, fomos contra a doutrinação ideológica em sala de aula, o ensino de ideologia de gênero e os que se dizem artistas fazendo exibições nus para crianças, nos chamam de homofóbico, racistas”, lamenta.

O parlamentar acredita que o momento que o país atravessa é delicado e, portanto, “chegou a hora de elegermos mais cristãos para cargos mais altos, como senador da República e governadores”. Assegura também que “precisamos tirar das redes sociais a nossa indignação e a levarmos para a urna”.

Delegado da Polícia Federal, ele incorporou o título ao nome, sendo bastante conhecido como “Delegado Francischini”. Membro da Assembleia de Deus, assegura: “Precisamos demonstrar que ser cristão não é o contrário de ser democrático, uma pessoa justa e que pode oferecer soluções para ajudar o nosso país.”

Questionado sobre qual a expectativa para a próxima eleição, ele assevera que, ao lado de Bolsonaro, ele irá lutar pelos valores da família e para melhorar as condições de vida de todas as famílias, melhorando a economia e reduzindo o desemprego.

Assista!

Cúpula Conservadora

Francischini é um dos idealizadores da Cúpula Conservadora, que ocorrerá em 28 de julho na cidade de Foz do Iguaçu (PR). “Será o maior evento conservador já feito no Brasil, antagônico ao Foro de São Paulo, que trouxe todas as esquerdas da América do Sul para dentro do Brasil”, explica. Lembra ainda que o Jair Bolsonaro será um dos palestrantes.

Haverá debates no estilo mesa redonda sobre economia, segurança, política e cultura. “Queremos mostrar que temos espaço para sermos conservadores nos costumes, liberais na economia, sendo democráticos também”, encerra.

O site do evento diz que já estão confirmadas presenças de autoridades do Brasil, Paraguai, Chile, Colômbia e Estados Unidos.

O evento é gratuito, mas as vagas são limitadas. As inscrições podem ser feitas pelo www.cupulaconservadora.com.br



Assuntos: , , ,


Deixe sua opinião!