Temer busca apoio de pastores evangélicos para reforma da Previdência

Após reunir-se com Valdemiro, agenda prevê conversas com líderes da Assembleia de Deus


Até recentemente, o governo Temer tinha dois pastores como ministros. Na pasta do Trabalho, Ronaldo Nogueira (PTB/RS), ligado às Assembleias de Deus e na da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB), bispo licenciado da Universal. Mesmo assim, sua aproximação com as lideranças evangélicas eram pífias.

Com a popularidade em baixa, o presidente divulgou que terá encontros com diversos líderes evangélicos visando, sobretudo, apoio à reforma da Previdência. Oficialmente, o objetivo seria diminuir a insatisfação das mudanças na aposentadoria.

A primeira dessas agendas ocorreu nesta segunda-feira (15), quando Temer recebeu em seu gabinete Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus. Ele explicou as mudanças propostas e pediu o apoio do apóstolo.

Nas próximas duas semanas ocorrerão reuniões parecidas com os pastores Samuel Ferreira, da Assembleia de Deus Madureira, Silas Malafaia, do Ministério Vitória em Cristo, e Samuel Câmara, presidente da Assembleia de Deus em Belém e CGADB.

A percepção do governo é que os líderes evangélicos possuem boa penetração nas classes C e D onde, segundo análise interna do governo, concentra-se a maior resistência às mudanças na aposentadoria.

Além disso, o Palácio do Planalto fará uma tentativa de ganhar apoio de líderes católicos, mas tem enfrentado dificuldades, pois a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) já se posicionou contrária ás mudanças.

Além dos pastores evangélicos, o presidente quer espaço em programas de televisão. Ele concederá entrevistas a Ratinho e Silvio Santos, do SBT, e Amaury Júnior, da Bandeirantes. Com informações das agências.




Deixe seu comentário!