MENU

Temer diz que foi “iluminado por Deus” em culto da AD. Assista!

Presidente dá graças a Deus pelo fim da greve dos caminhoneiros


Manoel Ferreira e Michel Temer
Bispo Manoel Ferreira e Michel Temer. (Foto: Dida Sampaio / Estadão)

O presidente Michel Temer esteve na manhã desta quinta (31) num templo da Assembleia de Deus, em Brasília. Segundo o jornal Estado de São Paulo, os fiéis foram orientados a não vaiar o presidente.

Na sua chegada, Temer foi aplaudido. O bispo Manoel Ferreira, que estava na igreja, afirmou ao presidente: “Aqui você só vai ser aplaudido, porque aqui aprendemos a respeitar as autoridades constituídas”.

Leia mais

Em seu breve discurso, Temer pediu orações por ele e por seu governo. “Graças a Deus, estamos encerrando essa greve dos caminhoneiros, por meio de uma atitude minha que, muitas vezes, tenho sido criticada, que é o diálogo”, insistiu.

Acompanhado do pré-candidato do MDB, Henrique Meirelles, o presidente disse que em sua mesa, na Presidência da República, ficam dois livros: a Constituição Federal e a Bíblia.

Aos presentes, assegurou: “Abro um pouco a Constituição, quando tenho dúvida de natureza organizativa, mas abro frequentemente a Bíblia. Aliás, deixo aberta. Mas de vez em quando folheio porque dizem ‘quando você tiver uma dificuldade, veja na Bíblia que você terá um caminho’. E não foram poucas as vezes que eu abri a Bíblia, assim, sem nenhuma intenção a não ser aquela do tipo ‘Deus, me dê um caminho’. Quando abria numa folha qualquer, numa página qualquer, eu lia um Salmo, um Provérbio, o que fosse e lá eu encontrava o caminho para aquele dia”.

O que mais chamou a atenção foi quando ele declarou ter ouvido a voz divina. “Fui iluminado por Deus, que disse: ‘Vai lá no templo da assembleia comemorar a pacificação do país’. Quero pedir que todos vocês creiam como creio na força do diálogo e da palavra”.

Antes do culto, o presidente reuniu-se com 27 presidentes estaduais da Assembleia de Deus no país, onde procurou destacar realizações de seu governo, dizendo que se esforçou para preservar “os direitos morais do nosso sistema”.




Deixe seu comentário!