Berlim terá templo único para cristãos, judeus e muçulmanos

A obra começa a ser construída em 2016 e deve custar 43 milhões de euros


Berlim terá templo único para cristãos, judeus e muçulmanos

A cidade de Berlim, na Alemanha, terá um espaço dividido para as três religiões monoteístas: judaísmo, cristianismo e islamismo. O local será construído no mesmo lugar onde até 1964 funcionou a igreja mais antiga da cidade.



O projeto da construção do templo foi impulsionado por representantes das três religiões, o pastor Gregor Hohberg, o imã Kadir Sanci e o rabino Tovia Ben-Chorn.

O local será chamado de “The house of one”, ou “A casa de Um” em tradução livre. O projeto foi apresentado na semana passada e foi bem recebido pela população.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


“A cidade das feridas também pode ser a cidade dos milagres”, disse o rabino Ben-Chorn se referindo ao período nazista. Em 1935 sua família precisou deixar o país por conta das ameaças contra judeus.



O pastor Hohberg explicou à imprensa local que foi procurado pela prefeitura para assumir o terreno onde antes funcionava a paróquia protestante de São Pedro. “Naturalmente, nos interessamos em recuperar o terreno, mas não queríamos fazer uma igreja, e sim algo diferente que expressasse o que a cidade era atualmente”, explicou ele que é responsável pela igreja de Santa Maria.

Com a “The house of one” os líderes religiosos tentarão promover uma cultura de tolerância. “Em nosso trabalho diário sentíamos a necessidade de uma maior comunicação e uma maior compreensão entre as religiões. A ideia surgiu com essa proposta”.



A construção do templo será assinada pelo arquiteto Wilfrid Kuehn e deve começar a ser erguida na primavera de 2016 com orçamento previsto em 43 milhões de euros, valor que será arrecadado entre os fiéis das três crenças.

“Haverá uma igreja, uma sinagoga e uma mesquita, um pastor, um rabino e um imã, mas, além disso, teremos um lugar de encontro, onde vamos poder ler a bíblia juntos e discuti-la para nos conhecermos melhor”, disse Ben-Chorn explicando o projeto. Com informações Exame.




Deixe seu comentário!