“Terroristas islâmicos são o mal encarnado”, afirma vice-presidente dos EUA

Mike Pence defende cristãos perseguidos


"Terroristas islâmicos são o mal encarnado", afirma Mike Pence

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence participou na quarta-feira (10) da abertura da Cúpula Mundial em Defesa dos Cristãos Perseguidos, evento promovido pela Associação Evangelística Billy Graham.

Conhecido pela sua fé cristã, Pence garantiu aos representantes de mais de 130 países presentes no evento, que o presidente Donald Trump se preocupa com os cristãos perseguidos em todo o mundo. Disse ainda que seguidamente, ele e o presidente oram por eles e voltou a dizer que o seu governo irã destruir o Estado Islâmico.

Amigo pessoal de Franklin Graham, idealizador do encontro, Pence disse que Trump é um “defensor inconteste” da liberdade religiosa. Deixou claro ainda que sua presença na Cúpula significava “o compromisso tangível” dos Estados Unidos em defender os cristãos da perseguição que sofrem, bem como as outras minorias.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


Dirigindo-se aos participantes do evento que sobreviveram à perseguição, assegurou: “A fé de vocês me inspira… Estamos com vocês… que perseveraram através do calor da perseguição, recusando-se a se conformar com este mundo”.

Citando diversas vezes passagens bíblicas, lembrou que desde os tempos de Jesus a perseguição faz parte do cristianismo. Ao avaliar a situação atual, disse acreditar que a fé cristã está “sitiada”, destacando a opressão e os abusos que cerca de 215 milhões de cristãos enfrentam em mais de 100 países.

“A realidade é que, em todo o mundo, ninguém enfrenta hoje maior hostilidade ou ódio do que os seguidores de Cristo”, destacou.

“Em nenhum outro lugar este ataque é mais evidente do que a terra onde o cristianismo nasceu”, observou, referindo-se ao Oriente Médio. Mencionou como exemplos os recentes bombardeios no Egito e as atrocidades e tortura que os cristãos sofrem em lugares como Síria e Iraque.

“Saibam, com segurança, que o presidente Trump reconhece esses crimes como atos vis de perseguição, impulsionados pelo ódio, ódio ao evangelho de Cristo. O presidente sabe quem são as pessoas que cometeram esses crimes. Eles são a encarnação do mal em nossos dias. E ele os chama pelo nome: terroristas islâmicos radicais”, denunciou.

Lembrou aos presentes que o compromisso do seu governo é “proteger as pessoas de fé” e que os EUA estão decididos a eliminar o Estado Islâmico e erradicar o terror.

Finalizou, deixando claro que sua fé em Deus o faz ver as coisas com otimismo e mesmo diante do triste cenário atual, os cristãos deveriam perseverar em oração. “A história registra, que mesmo em tempos de perseguição, a igreja prosperou, cresceu, teve esperança no futuro… eu sei que nosso futuro será brilhante, de fato, agora e na eternidade”. Com informações de White House  e Washington Post




Deixe seu comentário!