Terry Jones cumpre ameaça e queima Alcorão

Ele havia dado um prazo para que o governo iraniano libertasse Yousef Nadarkhani


Terry Jones cumpre ameaça e queima Alcorão

O pastor Terry Jones cumpriu a ameaça que fez e diante de sua igreja, em Gainesville, Flórida, queimou um exemplar do Alcorão e ainda uma imagem de Maomé para protestar contra a prisão de Yousef Nadarkhani.



No sábado venceu o prazo que Jones havia dado ao governo iraniano para que libertassem Nadarkhani que está preso desde 2009 por ter trocado o islã pelo cristianismo. Cerca de 20 pessoas acompanharam o ato dentro da igreja.

Quando determinou um prazo para a soltura do pastor iraniano, o Pentágono chegou a pedir que Terry Jones não queimasse o Alcorão, pois no ano passado essa mesma atitude fez com que as tropas americanas fossem atacadas pelo povo afegão que se revoltou com atitude dele.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


Mas Jones não ouviu as autoridades americanas e resolveu queimar o livro sagrado dos muçulmanos. Em seu discurso ele incentivou uma “revolução pacífica” não só nos Estados Unidos como em todo o mundo pela liberdade de expressão e religiosa.



“Não devemos continuar permitindo que a nossa liberdade de expressão seja silenciada e nem que nossos direitos sejam retirados. É tempo de nos insurgirmos. E hoje fá-lo-emos”, disse o americano que deixou claro que estava queimando o Alcorão em protesto.

“Não seremos mais silenciados. Não ficaremos mais indiferentes e não estaremos mais apaziguados. Hoje, vamos queimar o livro profano, ímpio e pervertido do islão, e o profano, maléfico, dito profeta, Maomé”, concluiu ele.



A polícia local assistiu a encenação do pastor e lhe aplicou uma multa de US$271 porque em Gainesville é proibido por lei queimar livros sem autorização. Mas o governo americano ainda teme ataques às suas tropas no Afeganistão.

Assista:




Deixe seu comentário!