MENU

Ator Tim Allen reclama de perseguição por defender valores cristãos

De volta à televisão, Allen diz que conservadores são vistos como “perigosos” em Hollywood


Tim Allen em Last Man Standing
Tim Allen em Last Man Standing. (Foto: ABC)

Após ter seu seriado de sucesso “Last Man Standing” cancelado no ano passado pela ABC, o ator Tim Allen voltou às telinhas com a retomada do programa, desta vez indo ao ar pela Fox. A audiência do primeiro episódio na nova casa chegou a 8 milhões de pessoas, mostrando que o público permanece fiel ao formato.

Sendo a ABC uma empresa do grupo Disney e com Last Man Standing aparecendo como a segunda maior audiência no horário, o cancelamento foi uma surpresa para Allen. Somente agora ele fala abertamente sobre o assunto.

Leia mais

O ator, famoso por seus filmes de comédia e dublador do boneco Buzz, de Toy Story, acredita que sofreu um tipo de perseguição por defender sua fé cristã e valores conservadores.

O seriado estrelado por ele mostra a vida de uma família de classe média, cristã que precisa lidar com problemas cotidianos. A recusa em tratar de questões políticas ou falar sobre pautas progressistas como a maioria dos outros programas de TV foram decisivos para seu cancelamento pela ABC.

Embora diga não saber exatamente o motivo do cancelamento na antiga emissora, ele pensa que tem a ver com sua defesa dos valores conservadores cristãos.

“Não há nada mais perigoso, especialmente no ambiente social de hoje, do que um conservador simpático e engraçado”, disse Allen ao The Washington Post. “Essa foi a coisa mais perigosa. Porque no show eu vivo em uma família cheia de mulheres que tinham opiniões diferentes. Meu personagem é um cara de princípios, que vai à igreja e que defende a ética”, explica.

Fora das telas, Allen sempre falou abertamente sobre sua fé cristã. Em diferentes entrevistas ele se descreveu como “um cristão bastante comprometido”, que sempre fez perguntas profundas sobre Deus, dor, sofrimento e muito mais.

Um dos eventos transformadores em sua vida foi a morte de seu pai quando ele tinha apenas 11 anos. O ator admitiu que o evento teve um impacto profundo em sua fé e na maneira como ele via o Criador. “Eu busquei um relacionamento com Deus desde que meu pai morreu”, disse ele.



Assuntos:


Deixe sua opinião!