Trump: “Jerusalém para os palestinos está fora de cogitação”

Presidente dos EUA diz que mudança da embaixada para Jerusalém ocorrerá "em breve"


"Jerusalém para os palestinos está fora de cogitação"

Benjamin Netahyahu e Donald Trump se encontraram hoje (25) pela primeira vez desde o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel em Davos, onde participam do Fórum Econômico Mundial. O presidente americano e o primeiro-ministro israelense reiteraram que as relações entre os dois países “nunca estiveram tão fortes”.

Em uma afirmação surpreendente, Trump disse que a divisão de “Jerusalém está fora de cogitação”, e que os palestinos devem voltar à mesa de negociações, se realmente desejarem continuar recebendo ajuda americana. “Agora que a questão de Jerusalém está fora da mesa [de negociações], os outros pontos podem ser discutidos”, insistiu.

O presidente disse ainda que a embaixada dos EUA se mudará para Jerusalém “em breve”. “Nós antecipamos que uma versão reduzida [da embaixada] já estará funcionado em meados do próximo ano”, continuou Trump.

Também voltou a dizer que irá cortar toda a ajuda à Autoridade Palestina, a menos que eles concordem com as negociações com Israel. O republicano acusou os palestinos de desrespeitarem os EUA, por terem se recusado a se encontrar com o vice americano, Mike Pence, em sua viagem a Israel esta semana.

Trump avisou que bloqueará a ajuda financeira – em torno de US$100 milhões – aos palestinos através de programas da ONU e que ela só voltará caso os diálogos de paz entre Israel e Palestina voltem a acontecer. O presidente assegurou que sua decisão de reconhecer Jerusalém como capital de Israel “avançou a possibilidade de paz”.

“Eu posso garantir a vocês que Israel quer a paz, e eles [palestinos] terão que oferecer a paz, ou não teremos mais nada com eles. Isso nunca foi trazido por outros negociadores. Mas foi trazido por mim”, garantiu, deixando claro que os EUA têm “uma ótima proposta para os palestinos”.

Netanyahu usou a reunião para agradecer a Trump por reconhecer Jerusalém, dizendo ao presidente que o anúncio ficará “gravado nos corações do nosso povo por gerações”.

A ameaça de Trump em cortar toda a ajuda monetária dos EUA à Autoridade Palestina também foi comentado por Nikki Haley, embaixadora dos EUA na ONU. Na semana passada, ao anunciar a redução significativa de seu financiamento para a UNRWA, a agência da ONU para “refugiados palestinos”, ela afirmou que o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, precisa pagar um preço por desrespeitar os EUA e seu presidente. Com informações das agências.

Assista:




Deixe seu comentário!