Turquia está preparando o caminho para o Anticristo, defende teólogo

Pastor Joel Richardson acredita que o Anticristo será islâmico


Turquia está preparando o caminho para o Anticristo

Enquanto o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, continua a consolidar seu poder, tentando fazer com que sua nação restaure o antigo Império Otomano, especialistas em profecia apontam que isso pode ser uma preparação para a chegada do Anticristo.

“Eu tenho dito isso há 12 anos”, lembra o pastor Joel Richardson, “a Turquia irá se tornar uma nação islâmica radical”. Ele é autor dos best-sellers “O Anticristo Islâmico” e “A Besta que vem do Oriente Médio” e especialista em escatologia.



Richardson acredita as tensões entre as potências islâmicas sunitas da Turquia e da Arábia Saudita moldarão o Oriente Médio nos próximos anos. O fato de Erdogan ter feito ameaças à União Europeia e falado em guerra só alimenta a preocupação dos estudiosos sobre uma unificação do mundo islâmico ao redor de uma figura como o presidente turco, que seria um califa.

O especialista em geopolítica Steven Cook disse recentemente que a vitória eleitoral de Erdogan significa “o fim” da Turquia como a conhecemos e o ressurgimento do Império Otomano, que dominou grande parte do Oriente Médio – incluindo Israel – por 500 anos.

Richardson, que acompanha de perto a política do Oriente Médio pois seu ministério tem se dedicado a difundir o Evangelho na região, argumenta que a Turquia acabará liderando a coalizão de nações islâmicas contra Israel, profetizada por Ezequiel.



“Acredito que a Turquia vai liderar a coalizão do Anticristo”, disse ele, apontando para a batalha de Gogue e Magogue. Mas, antes, a Turquia precisará conquistar o apoio do Irã, antiga Pérsia, ou simplesmente anexá-la como parte deste emergente império neo-otomano turco”, afirmou o teólogo.

A religião do Anticristo

Em seu livro mais recente “Mistério: Babilônia”, Richardson lembrou que ela é “uma entidade religiosa e uma entidade econômica, que exerce uma influência corruptora”. O pastor não tem dúvidas que se trata do islamismo.



Afinal, “Meca é a maior cidade de idolatria já conhecida, pois cerca de 1,26 bilhão de pessoas curva-se cinco vezes por dia em sua direção. Em seu centro está um ídolo, conhecido como Kaaba, que está encharcada de paganismo”, sublinha.

“Quando você olha para a Al-Qaeda, para o Estado Islâmico, Boko Haram, Abu Sayyaf, Al-Shabaab, qualquer um desses grupos radicais, o Talibã… eles encontram sua gênese ideológica na Arábia Saudita”, insiste Richardson.

“Eles encontram seu financiamento da Arábia Saudita, que é a fonte [do Islamismo], é o ventre desse derramamento de sangue que estamos vendo em toda a Terra. Cristãos desaparecendo do Oriente Médio, sendo atacados na Europa. De onde vem isso?”.

Em sua análise, o último império mundial será a união dos países islâmicos. “O Islã não é simplesmente outra falsa religião, mas a maior de todas as falsas religiões. É o maior numericamente e em força. Na história humana, nunca houve uma falsa religião tão grande quanto o Islã. De muitas maneiras é o cenário perfeito Anticristo, que trará uma falsa religião perfeita”, encerra.




Deixe seu comentário!