“Valores evangélicos são inegociáveis”, diz Malafaia a Alckmin e Doria

Alckmin e Doria ouvem doutrina de pastor em evento evangélico


"Valores evangélicos são inegociáveis", diz Malafaia a Alckmin e Doria

Nesta quinta-feira (17), durante a abertura da ExpoCristã, feira do mercado evangélico realizada em São Paulo, o pastor Silas Malafaia fez um sermão onde também falou sobre política: “Quem quiser fazer graça com o politicamente correto. Segue aí o seu caminho. Não vamos entrar nesta furada de jeito nenhum.”

Estavam presentes, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito da capital paulista, João Doria, ambos do PSDB e considerados futuros candidatos a presidente da República.

O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo destacou que o maior problema, atualmente é a imposição da “ideologia de gênero”. Essas “noções são uma das maiores engenharias do diabo para destruir a família”, asseverou às dezenas de presentes no evento.

Conforma lembrou, evangélicos e católicos são, juntos, a maioria da população brasileira (80%). Portanto, não deveriam aceitar a ideia popularizada pela esquerda que masculino e feminino seriam construções sociais, e não biológicas.

Malafaia declarou-se a favor do “gênero humano”, por isso entende que essas ideias são “uma das maiores engenharias do diabo para destruir a família”. Lembrando da atuação da bancada evangélica na Câmara, disparou: “Como maioria num Estado de direito, vamos nos fazer prevalecer e isso é inegociável”.

“Não é colocar crente na Presidência, é colocar alguém que defenda nossos valores”, disse o pastor Claudio Duarte, também presente no evento. “Botei filho na escola para aprender português, matemática, e não ideologia de gênero”, enfatiza.

No salão, os líderes evangélicos promoveram ainda um momento de “oração pelo Brasil”, que contaria com a presença do presidente Michel Temer, que acabou não aparecendo.

Malafaia aconselhou Doria

A proximidade de João Dória com líderes evangélicos não é novidade. Ele, que no passado, já declarou apoiar o casamento gay, disse discordar do ensino da ideologia de gênero na escola.

Segundo a Folha de São Paulo, Dória chamou Malafaia de “amigo” e arriscou um “glória a Deus” durante a pregação. Por sua vez, o pastor explicou que já aconselhou Doria a deixar o PSDB para disputar o pleito do ano que vem. Em outros momentos, já declarou seu apoio ao “presidente Dória”.




Deixe seu comentário!