Vaticano: “Precisamos desesperadamente de mais exorcistas”

Brasil tem apenas 30 exorcistas reconhecidos


"Precisamos desesperadamente de mais exorcistas"

O italiano Valter Cascioli, psiquiatra e consultor da Associação Internacional de Exorcistas, órgão oficial ligado ao Vaticano, afirmou recentemente que o número de casos de possessão vêm crescendo no mundo todo e simplesmente não há exorcistas em número suficiente para lidar com isso.

Já Richard Gallagher, psiquiatra norte-americano faz um alerta para o que ele chama de “rápido crescimento do fenômeno mundial.”

Muitos padres compartilham dessa preocupação. Em entrevista ao jornal The New York Post, o padre Vincent Lampert, da igreja St. Malachy em Indianapolis, Indiana, defendeu que o confronto com os espíritos imundos não ocorrem apenas dentro das igrejas.


  Professor ensina a cantar afinado em 61 dias


Sua visão, compartilhada por muitos outros líderes religiosos é que a luta espiritual ocorre de diferentes maneiras. “Nós estamos lutando contra as drogas, o ocultismo, a pornografia”, avalia. “Estes são pontos de entrada para o mal e precisamos resgatar estas almas. A situação é terrível… Tudo isso torna mais fácil o trabalho de Satanás em lançar suas redes”.

Um artigo na revista eletrônica Catholic Online publicado em outubro tinha como manchete: “O Mundo está sendo atacado – exército de demônios gera explosão de exorcismos”. O alerta gerou muito debate em meios católicos.

Na mesma época, o Frei Vincenzo Taraborelli, 79 anos, reclamou em entrevista à BBC, que a nova geração de padres tem “medo” de lidar com pessoas que dão sinais de possessão. Para ele, a atividade demoníaca pode ser vista nos noticiários todos os dias.

“Quem tem fé sabe que o demônio existe, você pode ler nos textos sagrados. Depois, você só precisa olhar (à sua volta) e ver como o mundo está hoje em dia. As coisas nunca estiveram tão ruins. Esses atos de violência não são humanos. Tão terríveis, como o Estado Islâmico”, concluiu.

Cerca de 400 líderes católicos reuniram-se em Roma, no final do ano passado, para traçar estratégias de recrutamento de mais exorcistas. Eles serão treinados para seguir os antigos rituais católicos, que incluem orações específica e o uso de água benta e crucifixos para ajudar as pessoas a se livrarem dos demônios. Por enquanto, a procura tem sido abaixo do esperado.

O quadro não é muito diferente no Brasil. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) nunca fez um levantamento oficial, mas o Fantástico mostrou que existem apenas 30 padres exorcistas atuando no país que possuem “autorização” para lidar com essa situação.




Deixe seu comentário!