MENU

Vereadora pode ser processada por pedir orações contra “maldição de Iemanjá”

Representantes do terreiro querem entrar conta ela no Ministério Público por crime de racismo


vereadora Michele Collins (PP)
vereadora Michele Collins (PP)

A vereadora Michele Collins (PP), de Recife, Pernambuco, vem sendo muito criticada por uma postagem no Facebook. Na segunda (5), ela escreveu “Noite de Intercessão no Recife, orando por Pernambuco e pelo Brasil, na Orla de Boa Viagem, clamando e quebrando toda maldição de Iemanjá lançada contra nossa terra em nome de Jesus. O Brasil é do Senhor Jesus. Quem concorda e crê diz amém”.

Ela é missionaria da Assembleia de Deus e acabou sendo vítima do patrulhamento político das redes sociais. O assunto acabou saindo da esfera virtual e pode acabar em processo.

A comunidade Terreiro Axé Àse Òrìsànlá Tàlábí, da cidade de Paulista, divulgou uma carta aberta de repúdio contra a publicação. Eles acusam Michele do crime de racismo e sentimento religioso.

Conforme Jacqueline Alves, advogada da Comissão de Direitos Humanos da OAB e pertencente ao terreiro avisou que está preparando uma representação coletiva, onde reúne assinaturas de outras casas de terreiros. “Nós vamos entrar com uma ação no Ministério Público o quanto antes”, afirmou.

Para Pai Júnior de Odé, “Esse tipo de ataque não só fere o nosso direito de crença, como também incentiva a descriminação. Isso não deve ser tolerado”.

Após a polêmica, na terça-feira (6), a equipe de comunicação da vereadora divulgou uma nota de desculpas: “A vereadora missionária Michele Collins esclarece que em nenhum momento teve a intenção de ofender ou propagar qualquer mensagem de ódio religioso. Todos sabem que a missionária é veementemente contra qualquer intolerância religiosa, inclusive já deletou a postagem de suas redes sociais, diante dessa falha na elaboração do texto. A vereadora missionária Michele Collins pede desculpas aos que se ofenderam”.

O caso é parecido com o do vereador pastor Roberto Conde Andrade (PRB), de Jundiaí, interior de São Paulo, que enfrentando uma onda de críticas após ter pedido orações pela cidade em uma postagem no Facebook. Na ocasião a Câmara municipal fazia uma sessão em homenagem ao Dia Nacional da Umbanda.

Ele postou fotos do evento e escreveu: “Povo de Deus, vamos orar por Jundiaí. Agora mesmo na Câmara Municipal vários pais e mães de Santo”. Rapidamente passou a ser tachado de “intolerante” e acabou tendo de se desculpar. Com informações de G1

 



Assuntos: , ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias