Entrevista de Caio Fábio acirra debates nas redes sociais

Resposta do público mostra que evangélicos ficaram divididos  


Entrevista de Caio Fábio acirra debates nas redes sociais

A entrevista do pastor Caio Fábio no programa The Noite, do SBT, conduzida por Danilo Gentili gerou grande polêmica nas redes sociais por causa de seu teor crítico aos evangélicos em geral.

Classificou a maior parte da população evangélica de “alienada, imbecilizada, marionetada, massa de manobra, abjeta”. Afirmou que dedicou a maior parte do tempo de seu ministério itinerante pelo Brasil na tentativa de ensinar as pessoas para oferecer-lhes “parâmetros de saúde mental”. Seu objetivo era “desmontar o circo” armado pelos líderes das grandes igrejas, que chamou de “gurus tiranos”.



No Twitter e no Facebook, milhares de comentários usaram o marcador #caiofabio, mostrando mais uma vez que ele continua gerando tanto amor quanto ódio em larga escala.

Para muitos ele foi profético, denunciando corajosamente as mazelas da igreja brasileira. Enquanto outros tantos o acusam de ser “falso profeta”, que apenas prejudica a já combalida imagem dos evangélicos na grande mídia.

Vários veículos de comunicação secular importantes, como o Jornal Folha de São Paulo repercutiam a entrevista. “Polêmico e altamente sicericida, Caio Fábio não deixou pedra sobre pedra em suas afirmações sobre o que viu durante sua longa trajetória em mais de 33 anos de ministério”, escreveu o jornalista Rento Kramer.



Obviamente, o que mais chamou atenção foi o posicionamento do pastor sobre a questão homossexual, ao responsabilizar as igrejas pelo que chamou de “eclosão de compulsão gay” causada pelos evangélicos.

O colunista do portal Gospel Prime, Julio Severo, não poupou críticas. Ele escreve que para Caio Fábio, criticar evangélicos “É seu meio de sobrevivência. Se não falar mal dos evangélicos, seus bolsos se esvaziam. Por isso, ele mantém sua fixação, custe o que custar e doa a quem doer. Enquanto ele viver, sua língua amargurada “trabalhará”, pois ele se sente como um pai que criou e instruiu toda a uma geração de evangélicos e foi enxotado de casa pelos “filhos”.

O articulista complementa: “Caio descobriu um filão de ouro na falação de mal dos evangélicos. Isso lhe rende visibilidade e dinheiro. Ele só vai calar quando caducar ou tiver uma overdose. Um homem tão inteligente, mas que não consegue usar seu próprio conhecimento para sobreviver sem o uso da língua suja, difamatória e apóstata”.

Por outro lado, a missionária e colunista da revista Ultimato, Bráulia Ribeiro, decidiu tomar sua defesa. “Caio não pretendeu ser perfeito”, escreveu ela, “descreveu bem a síndrome dos que se embriagam de poder. Mas infelizmente não deixou de ser vítima da cultura que o endeusou. Esta cultura é inescapável”.

Bráulia, contudo, foi cautelosa no final, afirmando que não pode julgá-lo. “Não me dou o direito de julgar ninguém, porque maior é a misericórdia que o juízo…. Salve Caio. Parabéns pela entrevista. Sigamos juntos no Caminho”, cravou. Após receber muitas críticas por seu posicionamento, usou sua conta no Twitter para esclarecer “Se querem ver pedrada no #caiofabio leiam o Júlio Severo. Ele se sente justo o suficiente para julgar outros. Eu não sou justa.”

Embora seja muito difícil contabilizar os “prós” e os “contras”, ao observar-se atentamente os comentários nas páginas de Julio Severo e de Bráulia Ribeiro, bem como no canal do The Noite no Youtube, chama atenção a polarização das opiniões. Por exemplo, o número de pessoas que clicou no ícone gostei é quase 10 vezes maior dos que optaram por clicar em “não gostei”. Vale destacar que, em dois dias, os 2 vídeos (“na íntegra” e a “versão reduzida”) da entrevista chegaram a mais de 400 mil visualizações. Já é uma das 5 entrevistas mais assistidas do canal.

Assista versão sem cortes:




Deixe seu comentário!