MENU

Viúva do pastor que se matou defende que suicídio não o condenou ao inferno

 Andrew Stoecklein estava em tratamento para depressão profunda


Kayla e Andrew Stoecklein
Kayla e Andrew Stoecklein. (Foto: Reprodução / Instagram)

Kayla Stoecklein, viúva do pastor Andrew Stoecklein, que se matou em sua igreja no mês passado, está confiante de que seu marido está no céu. Ela escreveu um longo testemunho, onde lamenta que exista um “mito” de que os suicidas estão condenados ao inferno.

“Trata-se de uma crença comum sobre o suicídio e isso parte meu coração. Eu sou a primeira a admitir que, antes da morte de Andrew, também acreditava nisso”, escreveu Kayla, 29, no texto de seu blog chamado “3 mitos sobre o suicídio”.

Leia mais

Ela conta que enquanto olhava para o corpo de seu esposo, sussurrou em meio às lágrimas: “Ele irá para o céu?”. Então sua sogra a lembrou: “Ser aceito no céu não nada tem a ver com a forma como você morre. A única maneira de sermos aceitos no céu é através de um relacionamento pessoal com Jesus”, argumentou.

No dia 24 de agosto, o pastor Stoecklein, que vinha lutando há meses contra a ansiedade e a depressão tentou o suicídio dentro da igreja que pastoreava, em Chino, Califórnia. Levado às pressas para o hospital local, ele morreu horas depois. Amplamente divulgado pela mídia, o caso reacendeu a discussão sobre como a Igreja trata da saúde mental.

“Acredito com 100% da minha alma que Andrew está no céu. Andrew tinha uma relação real, viva, autêntica e contagiante com Jesus. Milhares de pessoas estarão no céu por causa dele”, recordou a esposa do pastor.

Conforme lembra, seu esposo estava em tratamento. Ele tinha um diagnóstico médico e “a doença fez com que ele perdesse a capacidade de tomar decisões sábias, pensar com clareza e articular adequadamente seus sentimentos”.

Kayla argumenta seu esposo não queria morrer e que não é possível julgar o que estava passando dentro dele quando decidiu tirar a própria vida.

 



Assuntos: ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias